Prefeito acusa Estado de distribuir lotes com desfalque de doses da Coronavac 

Antônio Colucci também optou por manter exigência de teste de Covid na entrada de Ilhabela e por outro lado, flexibilizou as atividades comerciais

1
50
prefeito
Instituto Butantan nega problemas nas remessas enviadas à Ilhabela (Foto: Divulgação)
- Publicidade -

O prefeito de Ilhabela, Antônio Colucci, registrou um boletim de ocorrência contra o Estado de São Paulo, nesta quarta-feira (7). A acusação é que o governo tenha enviado lotes com menos doses da Coronavac, com quantidades menores que as informadas pelo Programa de Imunização do Estado.

- Publicidade -

De acordo com o prefeito, a cidade recebeu oito frascos com menos do que as 10 doses previstas. O Instituto Butantan nega qualquer desfalque nas remessas e afirmou em nota que todas as ampolas passam por um rigoroso processo de controle de qualidade antes da liberação.

Até o momento, Ilhabela recebeu 4.642 doses e aplicou 4.140, sendo 2.941 de 1ª dose e 1.219 de 2ª dose. As doses restantes (482) são destinadas, na maioria, para segunda dose de idosos.

“Não dá para entender o critério do Governo do Estado. Enquanto tem cidades recebendo doses de acordo com o público e atingiram 20% de aplicação, as cidades do Litoral Norte estão recebendo doses insuficientes. Hoje nosso déficit é de pelo menos 1,5 mil doses. Além disso, os frascos estão chegando com menos de 10 doses, isso é grave e por isso estamos nos resguardando registrando boletim de ocorrência. Queremos transparência”, disse o prefeito.

Flexibilização

Por outro lado, no mesmo dia, o prefeito de Ilhabela publicou um novo decreto flexibilizando as normas de funcionamento de serviços na fase emergencial. O documento começa a valer a partir desta quarta-feira (7) e libera o funcionamento de restaurantes, bares e áreas comuns dos hotéis, pousadas e hostels, observando o distanciamento mínimo de 1,5 metro e taxa de ocupação de 35%. O comércio ambulante também pode voltar a funcionar sem instalações.

No caso dos restaurantes, podem funcionar somente com agendamento prévio de reservas. Já os bares e quiosques somente poderão funcionar por delivery e take away (retirada no local, mas sem formação de fila). O take away é permitido até às 20h e o delivery até 0h. Fica proibida a venda de bebidas alcoólicas por qualquer estabelecimento comercial das 20h às 6h.

Também estão liberados o funcionamento de salões de beleza e barbearias, com hora marcada, academias, com capacidade de 35%, lojas de materiais de construção e de jardinagem com agendamento prévio, e bibliotecas municipais somente para a entrega e a retirada de livros, não sendo permitia a permanência no local.

Controle de acesso

O prefeito de Ilhabela também optou por manter o controle de acesso na balsa aos finais de semana de abril, exigindo dos visitantes a apresentação de teste negativo para Covid-19 do tipo RT-PCR com no máximo 48 horas antes do embarque para a cidade. A medida vale das 14h de sexta-feira até às 14h de domingo.

Ficam fora da obrigação os moradores de Ilhabela, prestadores de serviços essenciais (que comprovem que estão atuando na função) e pessoas que receberam a segunda dose da vacina.

- Publicidade -

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui