Trabalhadores da Tamoios entram em greve por tempo indeterminado

Mais de 1 mil funcionários pedem reajuste salarial de 12%

1
513
As obras de duplicação na rodovia dos Tamoios está paralisada devido a greve (Foto: Divulgação)

Mais de 1 mil funcionários da construtora Queiroz Galvão, que trabalham nas obras de duplicação da rodovia dos Tamoios, decidiram, em assembleias realizadas ao longo desta terça-feira (11), entrar em greve por tempo indeterminado.

- Publicidade -

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada, Infraestrutura e Afins do Estado de São Paulo (Sintrapav), a decisão foi motivada pela rejeição à proposta apresentada pela construtora, muito abaixo das reivindicações da categoria. Os funcionários pedem reajuste de 12,8% e a empresa ofereceu 4,5%.

Outra proposta rejeitada pelos trabalhadores da Queiroz Galvão foi o valor do vale alimentação, de R$ 440, enquanto o pedido da categoria é de um benefício de R$ 600. Também foi reivindicado Participação de Lucros e Resultados (PLR) de R$ 5 mil e a construtora ofereceu R$ 2.550.

“A proposta do sindicato patronal representa um grande retrocesso nas conquistas e direitos dos trabalhadores da categoria e por isso o Sintrapav, em conjunto com os companheiros de classe, está organizando uma série de atividades reivindicatórias, tais como paralisações de advertência e possíveis greves em outras empresas do setor, para pressionar os patrões a voltarem à mesa de negociação e abrir os canais de diálogo para um acordo justo e que valorize o trabalhador da categoria”, divulgou o sindicato em nota.

A Concessionária Tamoios informa que devido à greve,  os trabalhos de Pare e Siga estão parados,  à exceção se precisar ser feita alguma manutenção.

1 COMENTÁRIO

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui