Espécie rara de golfinhos é avistada em Ilhabela

Nos anos 1960, um golfinho fêmea dessa espécie estrelou a série de TV norte-americana Flipper

0
525
Os golfinhos foram avistados neste segunda-feira (Fotos: Manoel Albadejo)

Um grupo de golfinhos da espécie Nariz-de-Garrafa (Tursiops truncatus) foi avistado na região sul de Ilhabela, nesta segunda-feira (22). O registro foi feito pela equipe de monitoramento embarcado da Unidade de Estabilização de Animais Marinhos do Instituto Argonauta. De acordo com os biólogos, a aparição desta espécie é rara na região do Litoral Norte. Nos anos 60, um golfinho fêmea dessa espécie estrelou a série de TV norte-americana Flipper.

- Publicidade -

“Esses golfinhos podem ser encontrados em toda costa brasileira. Mesmo assim, este é apenas o nosso terceiro registro desta espécie na região, desde o início do monitoramento embarcado em 2016”, conta o biólogo Manoel Albadejo.

Segundo ele, esses golfinhos podem chegar a 3,9 metros de comprimento e pesar cerca de 500 kg. Os machos são um pouco maiores que as fêmeas. O golfinho Nariz-de-Garrafa é a espécie mais capturada para estudos e treinada para espetáculos de acrobacias em cativeiros.

Outra curiosidade é que os adultos, geralmente durante disputas reprodutivas, podem morder uns aos outros, o que acaba causando muitas marcas e arranhões. Essas cicatrizes ajudam a reconhecer os indivíduos facilitando sua identificação, o que permite estudar seus deslocamentos.

O diretor presidente do Instituto Argonauta, o oceanógrafo Hugo Gallo Neto, faz um alerta sobre como proceder em casos de aparição de animais marinhos. “O ideal é não se aproximar, pois dependendo da espécie, pode se tornar agressivo caso se sinta ameaçado e também há uma legislação federal que determina os critérios de aproximação de embarcações”.

A interação com humanos é uma das principais ameaças à espécie. As redes de pesca, o choque com as embarcações de pesca e de recreio e a ingestão de lixo domésticos (plásticos) são os fatores que mais causam acidentes levando à morte e à mutilação desses animais. Caso aviste um animal marinho vivo debilitado ou morto, ligue no: 0800 642 3341 ou (whatsapp) 12 99705.6506.

O Instituto Argonauta é responsável pelo monitoramento em mais de 154 quilômetros de praias no Litoral Norte e também realiza ações embarcadas em toda a extensão da costa entre os municípios de Ubatuba, Caraguatatuba, Ilhabela e São Sebastião no âmbito do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS).

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui