Sabesp remaneja adutora no trecho de serra com erosão em São Sebastião

Empresa garante que não haverá necessidade de interdição da rodovia SP-55

0
291
Chuva provocou erosão e colocou adutora em risco (Foto: Divulgação)
- Publicidade -

A Sabesp, empresa responsável pelo abastecimento de água no Litoral Norte, iniciou nesta terça-feira (12) as obras para remanejamento de um trecho da adutora de água localizada à margem do trecho de serra da Rodovia Rio-Santos (SP-55), entre os bairros Enseada e  Cigarras, na Costa Norte de São Sebastião.

A erosão ocorrida na altura do KM 115+800 deixou a tubulação exposta e sem apoio e com risco de prejudicar o abastecimento de água para cerca de 30 mil moradores entre a Enseada e o Varadouro.

- Publicidade -

O superintendente da empresa, José Bosco Fernandes destacou que foram mais de 159 mm somente nas últimas 96 horas na região provocou o desbarrancamento da rodovia – nos dois acostamentos – deixando a tubulação exposta e sem apoio.

“A obra deve levar poucos dias, dependendo das condições climáticas e não haverá interdição. O sistema pare-siga continua enquanto o serviço é realizado”, disse Bosco.

Ainda de acordo com ele, “trouxemos tubos especiais de aço, que serão instalados no trecho em questão. Enquanto isso, o abastecimento permanece normalmente, com o desvio dessa parte da adutora para o lado oposto da pista. Estamos com três equipes de soldadores mobilizadas e prontas para iniciar o trabalho”, destacou.

VEJA TAMBÉM

Defesa Civil orienta caminhoneiros a evitarem trecho com erosão

Alagamento e falta de água afetam a região norte de Caraguatatuba

Chuva provoca queda de acostamento na Rio-Santos em São Sebastião

Trecho da Tamoios é interditado devido ao risco de deslizamentos

Na segunda-feira à noite foi feita uma força-tarefa por meio de parceria entre a Sabesp, Prefeitura de São Sebastião e Polícia Rodoviária Estadual que possibilitou a escolta para a chegada da nova tubulação pela rodovia dos Tamoios.

Estudos

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) iniciou o levantamento topográfico e os estudos geotécnicos que apontarão a melhor solução para recomposição do aterro e restauração da pista. O plano será na modalidade emergencial e a programação das obras será definida após a conclusão dos estudos, pois eles indicarão o tipo de intervenção a ser realizada.
O tráfego segue pelo acostamento e por uma faixa de rolamento. Agentes de trânsito das viaturas da Unidade Básica de Atendimento do Departamento permanecem para orientação dos motoristas.
Quanto ao esquema operacional, o DER esclarece que a chamada operação “Pare e Siga” é adotada quando há apenas uma faixa de rolamento em operação de tráfego. Neste caso, os dois sentidos da rodovia fluirão pela mesma faixa, sendo necessário represar o tráfego em um sentido, para que o outro flua.
O órgão informou que não é possível, neste momento, dizer quanto tempo a operação vai durar.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui