Greve dos motoristas continua e audiência é marcada para amanhã (8)

Trabalhadores reivindicam 22% de aumento e Praiamar oferece 4%
Motoristas cruzaram os braços na segunda-feira (Foto: Luis Gava/PMC)

Mais um capítulo do impasse entre os motoristas de ônibus de Caraguatatuba e a empresa Praiamar acontece nessa quinta-feira (8). A audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), em Campinas, foi marcada para 13h e deve decidir os próximos passos do transporte público na cidade.

A audiência deve propor a conciliação acerca do aumento de salário para os motoristas. Apesar da empresa ter solicitado a audiência, o Sindicato dos Motoristas, Trabalhadores nas Empresas de Transportes de Passageiros Urbanos, base Litoral Norte (Sttruca), não suspendeu a greve que começou na manhã de segunda-feira (5).

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 22%, vale-alimentação de R$ 500 e Participação de Lucros e Resultados (PLR) de R$ 600. Já a concessionária ofereceu reajuste de 4% aos motoristas na segunda. A empresa justifica não repassar o índice pedido porque a passagem não tem aumento há 36 meses no município. Atualmente, a tarifa é de R$ 3,80. Já a Prefeitura de Caraguatatuba informou que a negociação salarial da empresa com seus motoristas não tem reflexo direto nenhum com as negociações tarifárias.

Denúncia

O Sttruca informou que alguns funcionários estão dobrando a escala de trabalho. O diretor-presidente do sindicato, Francisco Israel, apontou a preocupação com a utilização de motoristas que deixaram o posto por volta da 1h30 e foram chamados pela Praiamar para assumirem os ônibus. “Estão colocando motoristas mais novos para dobrar a jornada”. A informação foi negada pelo administrador da Praiamar Transportes, Nervile Caetano de Oliveira, que afirmou "caber ao sindicato provar que estão usando desse expediente". 

Transporte

De acordo com determinação do TRT,  60% da frota deveria estar nas ruas  por se tratar de serviço essencial. O problema é que alguns veículos teriam sido depredados e outros tiveram os pneus esvaziados, o que diminuiu a quantidade de veículos em circulação e tem gerado esperas de até uma hora nos pontos de ônibus da cidade. As autoridades policiais foram acionadas para providências, mas os autores dos atos de depredação contra os ônibus não foram identificados até o momento.


Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário