Duas chapas concorrem à eleição do Sindserv nesta quarta-feira (13)

Sindicato representa mais de 4 mil servidores públicos municipais
Audrei Gatura e Paulo Henrique Santana disputam a presidência (Foto: Divuçgação)

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv) realiza nesta quarta-feira (13) as eleições para compor a diretoria que vai atuar por três anos. Duas chapas concorrem ao pleito da entidade, que representa cerca de 4 mil funcionários públicos, sendo que em torno de 2,5 mil estão aptos para votar.

Para esta eleição são cinco urnas fixas e sete itinerantes e a votação começa a partir das 7h e termina as 18h. As urnas fixas estarão na Subsede Enseada, Sede Central, Paço Municipal, Subsede Boiçucanga e Regional Boiçucanga. 

Já as urnas itinerantes vão percorrer todas as unidades municipais e passar, no mínimo, duas vezes em cada local, sendo uma no Járaguá, Enseada e Canto do Mar; uma para Cigarras, Bairro São Francisco, Portal do Olaria, Arrastão, Pontal da Cruz, Porto Grande e Centro; uma entre a Praia Deserta e o Centro; outra entre Topolândia e Barequeçaba; de Toque-Toque Grande a Maresias; outra de Boiçucanga a Barra do Sahy e uma para atender servidores de Juquehy a Boraceia.

Chapa1

A Chapa 1 tem à frente a atual presidente do Sindserv, Audrei Guatura, e a principal proposta é a de manter o Sindserv na luta pelos direitos dos trabalhadores com total independência de governos, patrões e partidos políticos. 

“Temos um balanço positivo com muitas conquistas e ações consolidadas, como os reajustes salariais que garantimos todos os anos.  E esta bandeira de luta traz um histórico de vitórias a partir da união, organização e força da categoria, que mostrou que o trabalhador da prefeitura tem voz e, se preciso, vai para as ruas para lutar por melhores condições de trabalho”, afirma Audrei.

A sindicalista diz que quer dar continuidade ao trabalho com a experiência conquistada e trazer as ideias e a renovação que chegam com os novos membros. “Nosso foco é a valorização dos servidores, a transparência e respeito com o patrimônio dos sindicalizados, e cada vez mais garantir o fortalecimento e a união de toda a categoria”.

Dentro desta proposta da Chapa 1 existem muitas demandas como manter a participação ativa dos membros da Diretoria nos conselhos municipais e órgãos fiscalizadores, devendo ampliar a abrangência de atuação a cada ano. Como também, garantir a efetiva implantação do Plano de Cargos, Carreira e Salários, que Audrei considera uma conquista, pois já está em fase de estudo. 

“Queremos uma Cipa verdadeiramente atuante, diferente dos anos anteriores, onde vimos uma eleição para compor a referida comissão e nunca mais se ouviu falar dela. Como também, trabalhar em conjunto com a Cipa, por meio de reuniões periódicas e cursos com os Cipeiros, para garantir mais segurança para o trabalhador”.

A Chapa 1 quer, ainda, lutar pela qualificação dos conselheiros do Faps para que todos sejam eleitos pelos servidores, além de uma cadeira permanente do Sindserv.
Outra proposta é exigir o fornecimento do vale-refeição aos professores de dupla jornada e a todos servidores na proporcionalidade das horas trabalhadas, além de buscar a unificação da luta de todos os trabalhadores por emprego, salário, direitos trabalhistas e sociais.

Junto com Audrei Guatura estão na Chapa 1 Alexandre Lisboa (vice-presidente), Cristiane Leonello (secretária geral), Patrícia Artuza (1ª secretária), Gilella Simões (2ª secretária), Eliete Freitas (1ª tesoureira) e Belmiro Rodrigues (2º tesoureiro).

Chapa 2

Encabeçada pelo funcionário público Paulo Henrique Ribeiro Santana, o PH, a Chapa 2 - Mudanças Já - traz como meta ações visando um sindicato acolhedor, com atendimento de qualidade para os servidores, com gestão participativa, transparente e eficiente, como diz o documento registrado.

Entre as metas pontuadas estão a elaboração do Plano de Cargos e Carreiras, bem como os Estatutos do Magistério e da Guarda Municipal; implantação da Escola do Governo para a qualificação e formação da categoria; realizar obras de revitalização com a construção dos Chalés no Sítio do Sindserv; implantação do sistema de assembleias por áudio e videoconferências nas três sedes para facilitar a participação de todos os servidores.

PH ainda propõe o retorno das Olimpíadas dos Servidores como forma de integração entre a categoria; rever os contratos de prestação de serviço dos convênios existentes e expandia a abrangência; propor ao Executivo um ajuste na função de vigia, uma vez que se criou, mas não se oficializou a função de guarda Patrimonial. 

“Sabemos que é um anseio da categoria a valorização de seus integrantes. Existe um dispositivo legal, e já utilizado por outras prefeituras, que criaram a Guarda Civil Patrimonial, dissolvendo a função de vigia que no Código Brasileiro de Ocupação equipara o quadro de vigia ao de vigilante”, explica o candidato.

Ele destaca ainda, como proposta de governo, adotar medidas necessárias para que o sindicato possa representar, de fato e de direito, os funcionários da Fundação de Saúde, além de propor auxílio-creche e reivindicar o fornecimento constante de uniformes e EPIs (Equipamento de Proteção Individual).

Compõem a Chapa 2 com Paulo Henrique Antonio Guilherme Duarte de Carvalho (vice-presidente), Patrícia Vieira (secretária geral), André Luiz Coutinho (1º secretário), José Vitor Freire de Oliveira (2º secretário), Roberto Vicente do Nascimento (1º tesoureiro) e Marinezio Gomes dos Santos (2º tesoureiro).

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário