Vazamento de cloro provoca mortes no rio Maresias; empresa é autuada em R$ 100 mil

Prefeitura de São Sebastião entendeu que não havia plano de contingência para o desastre ambiental
Técnicos recolhem animais mortos em Maresias (Foto: Divulgação/PA)

Por Mara Cirino

As consequências do acidente ocorrido no último dia 19, na rodovia Rio-Santos, na chamada serrinha entre Maresias e Boiçucanga, na Costa Sul de São Sebastião, foi além da morte do motorista Elcio Matios que conduzia o caminhão-tanque que tombou no local. Carregado de hipoclorido (cloro), o acidente provocou a mortandade de peixes, camarões, pitus no rio Maresias, no Canto do Moreira.

O secretário do Meio Ambiente de São Sebastião, Leandro Saadi, explicou que a Empresa Seda Transporte e Logística foi multada em R$ 100 mil por conta do desastre ambiental porque não tinha um plano de contingência. Dos 10 mil litros do produto carregado, pelo menos 7 mil foram derramados e atingiram curso d´água afetando a vida marinha.

Diante do ocorrido, ele informação que foi solicitado ao Departamento de Estradas de Rodagens (DER) a instalação de uma caixa britada no local onde tem acidente de forma constante. 

“Vamos solicitar, ainda, a implantação de lombada eletrônica para que os motoristas reduzam a velocidade e colocação de placas informativas explicando os riscos de acidentes nas imediações” disse Saadi.

No dia do acidente equipes do 3° Pelotão da Polícia Ambiental e da Cetesb, além da Defesa Civil do município, estiveram no local para fazer registro do acidente. 

O Instituto Argonautas fez a coleta de material para análise a fim de confirmar a causa da morte dos animais. A Secretaria de Meio Ambiente estuda reposição de animais mortos no rio e pode cobrar os custos da empresa, já que a multa não contempla compensação pelo dano ambiental causado.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário