Caraguatubense que mora na Espanha fala sobre a Covid-19

Assim como Brasil, país enfrenta avanço da doença com registro diário de mais de 200 mortes

0
329
Espanha
A Espanha já vacinou mais de 20% da população (Foto: ElPaís/Divulgação)
- Publicidade -

O jornalista Rodrigo Gomes dos Santos, caraguatatubense que mora na Espanha há quase três anos, falou com exclusividade ao jornal Nova Imprensa sobre sua experiência com o Covid-19 e a nova quarentena no país. Assim como no Brasil, o número de casos da doença disparou.

- Publicidade -

Espanha restrita

Novas medidas de restrição inciam na Espanha, a partir desta sexta-feira (8), para tentar conter o avanço da Covid-19: “Só no meu estado (província), foram 24 mil casos novos em 10 dias”.

Ele conta que, bares, cafeterias, restaurantes e pubs, passa a fechar às 17h. Enquanto abertos, o protocolo é de somente 4 pessoas sentadas por mesa; é proibido fumar dentro e fora dos estabelecimentos. Discotecas e baladas não podem abrir até segunda ordem.

Rodrigo informa ainda que há toque de recolher à partir das 22h. “Não pode andar na rua”. Algumas cidades, como Alcoi, Castalla, Polop, estão confinadas.

“Os moradores só podem sair de casa para ir ao supermercado ou hospital”, explica. O transporte público circula com 50% de sua capacidade, com uso obrigatório da máscara e controlados por agentes e policiais.

“Não podemos nos mover entre estados. As entradas estão fechadas e alguns municípios dentro do mesmo estado também”, pontua Rodrigo, que mora na cidade litorânea de Alicante. Em Madrid e Barcelona, as regras também se aplicam.

Além do avanço na contaminação, a preocupação do jornalista é também com a economia do país. “Tivemos a carga horária de trabalho reduzida, mas ainda funcionando. O restaurante que minha amiga trabalha despediu todos os funcionários ontem, porque o governo não tem mais dinheiro para pagar subsídio”, lamenta.

Ele lamenta ainda a distância física de sua filha, que mora em uma das cidades confinadas. “Pelo menos até dia 27 de janeiro, não poderemos nos ver”.

O susto

Espanha
O jornalista conta que não recebeu nenhuma medicação e sentiu medo (Foto: Arquivo Pessoal)

O caraguatatubense, que mora sozinho, conta que testou positivo para Covid-19 em novembro de 2019. “Fiquei quase 20 dias isolado, sozinho. Cada dia que acordava respirando bem era um alívio, já que na Espanha o protocolo é 15 dias de isolamento.

“Esse é o remédio aqui, você ficar sozinho em casa. Caso tenha falta de ar, aí sim, hospital e tratamento medicamentoso. Eu tive sintomas muito fortes nos cinco primeiros dias, sem receber nenhum tratamento. Depois fui melhorando, mas tive muito medo”, confessa.

Ele sugere aos brasileiros muita cautela. “Ânimo! Não podemos nos render! Porém, é necessário responsabilidade e consciência. Se eu fizer minha parte, é por mim, por
você, por nós”.

Números

A Espanha registrou mais de 42 mil novos casos desde terça-feira (5) e casos de reincidência subiram para 321. As cidades com maior número de doentes são: Extremadura, Ilhas Baleares, Madrid e Catalunha. O número de mortes nas últimas 48 horas é de 245. Mais de 200 mil doses das vacinas já foram administradas no país, equivalente a 27,9% do total recebido.

- Publicidade -

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui