Obra do hospital de Boiçucanga é alvo de novas investigações

Vereador envolvido na denúncia estaria sendo ameaçado

0
829
Obras do hospital começaram em 2012 e foram abandonadas (Foto: Divulgação)

Um grupo de vereadores de São Sebastião protocolou na Câmara Municipal um pedido de abertura de Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar supostas irregularidades na construção do Hospital de Boiçucanga, na Costa Sul da cidade. O ex-prefeito Ernane Primazzi nega as acusações.

- Publicidade -

Os parlamentares Diogo Nascimento, Daniel Simões, José Reis, Edmo Gusmão e Elias Rodrigues acusam o ex-gestor de superfaturamento na obra, que teve início em 2012 e ainda não está finalizada. O sexto vereador a assinar o pedido, Pedro Renato, denunciou estar sofrendo ameaças após se envolver no caso.

“Já me ameaçaram afirmando que não sei com o que estou mexendo. Mas eu não tenho medo, nasci para morrer”, declarou ele em nota.

O prefeito Felipe Augusto pediu uma perícia para que a justiça avaliasse os contratos das obras que foram abandonadas pela empresa Volpp. De acordo com o perito, a maior parte dos serviços pagos não foi executada e a soma dos valores referentes aos trabalhos efetivamente desenvolvidos pela empreiteira é de aproximadamente R$ 1,9 milhão.

No entanto, foram pagos R$ 10,7 milhões por estes mesmos serviços, ou seja, teria havido um superfaturamento de R$ 8,8 milhões. Diante dos fatos, a administração municipal entrou com ações de improbidade administrativa e ressarcimento ao erário público.

Após o laudo, a prefeitura abriu licitação para terminar a obra, contudo, o processo foi interrompido por causa de uma liminar a pedido de uma empresa da cidade de Indaiatuba. Segundo denúncias, o mesmo vereador, Pedro Renato, teria ido pessoalmente ao local, mas no endereço indicado existiria uma chácara e os vizinhos nunca teriam ouvido falar da empresa.

Por outro lado, o grupo de vereadores de oposição protocolou na última semana o pedido de uma CEI para investigar suposto superfaturamento em compras da merenda escolar na rede municipal na atual administração. Assinaram esse documento os vereadores Ernaninho, Gleivison Gaspar, Onofre Santos Neto e Pixoxó, porém, o processo ainda está em trâmite na Câmara.

O ex-prefeito Ernane Primazzi em entrevista ao Jornal Nova Imprensa afirmou que é a favor da abertura das duas CEIs e que os fatos devem ser apurados nas duas gestões. Ele informou ainda que o prefeito Felipe Augusto deveria ter terminado a obra e que existe dinheiro para tal. Ele lembrou do caso dos impostos da Petrobrás que estavam atrasados e voltaram a ser recebidos em 2017 pelo município após processo judicial. “Hoje esse valor gira em torno de R$ 60 milhões por ano e pode ser aportado no hospital. Ficam falando dessa obra para tirar o foco de outras investigações da atual gestão, como o caso da merenda, uniformes e livros superfaturados”, disse ele.

Ele lembrou ainda que em seu governo entregou cerca de 460 obras por ano e que a empresa Volpp estava finalizando o projeto do hospita ao final de seu mandato e só abandonou o trabalho depois. “Esse perito é particular e fez cálculos errados, pois pela conta dele o metro quadrado do hospital sairia cerca de R$ 360 e isso é impossível. Quando entreguei o governo já existiam mais de 5 mil metros quadrados contruídos e estavam pintando, já em fase final. Não sei por que o atual prefeito não finaliza a obra”.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui