Presos do CDP de Caraguatatuba terão curso de pedreiro

Projeto nasce de parceria entre CDP, Prefeitura e Senai com objetivo de evitar que os detentos voltem para o crime

0
479
Inicialmente são 20 vagas para os detentos do CDP de caraguá (Foto: Divulgação)
- Publicidade -

Os presos do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caraguatatuba receberam uma nova oportunidade para qualificação profissional. Graças à parceria entre o presídio e a Prefeitura Municipal de Caraguatatuba, os detentos participam do curso de Pedreiro Assentador ministrado pelo Senai de São José dos Campos.

Em sua primeira edição, foram abertas 20 vagas aos internos, que participam de 160 horas de aulas. O modelo é o mesmo lecionado fora do estabelecimento penal e garante certificado de conclusão aos presos, que serão qualificados para desenvolver processos construtivos relativos ao assentamento de alvenaria, com e sem função estrutural.

- Publicidade -

O custeio referente ao curso, como materiais e ferramentas, foi financiado pelo Fundo Social de Solidariedade de Caraguatatuba, que desenvolve projetos que contribuem para qualidade de vida da população carente. “Sabemos que os casos de reincidência são altos e não é o que queremos”, disse a primeira dama do município, Samara Fraschetti Bastos de Aguilar, presidente da entidade.

Presente no CDP para dar boas-vindas aos novos estudantes, Samara afirma que a iniciativa trabalha com a autoestima dos reeducandos, que voltarão para suas famílias com um diploma em mãos. O prefeito Aguilar Junior, que também esteve no evento, destacou a relevância da educação. “Viemos para expressar o nosso desejo de que os detentos saiam daqui com orgulho de ter concluído um curso de qualidade reconhecida”, afirma.

Mercado

Uma vez certificad

os, os futuros profissionais estarão aptos para utilizar equipamentos e instrumentos específicos seguindo normas técnicas com alto nível de qualidade, com noções sobre o meio ambiente e a saúde e segurança laboral.

Os presos aprovaram a parceria e buscam uma chance para sere

m bem recebidos na região, uma vez em liberdade. Luciano, detento de 38 anos, trabalhou em Caraguatatuba como motorista antes de ir para o presídio, e se encontrou com a nova oportunidade. “Todos nós estamos com o intuito de ser uma pessoa melhor, eu errei no passado e preciso me regenerar”, disse.

“As empresas do ramo de construção civil exigem tal capacitação para contratação de pedreiros, motivo pelo qual entendemos que a ação trará ganhos significativo

s na reinserção social dos detentos, principalmente no mercado de trabalho, uma vez que há grande demanda desse tipo de serviços no Litoral Norte”, afirma Alan Carlos Scarabel de Souza, diretor do CDP.

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui