Litoral Norte confirma 21 casos de dengue em 2019

São Sebastião e Caraguatatuba registraram o maior número de casos e uma morte no início do mês

0
903
A doença deixou uma vítima fatal em Caraguatatuba (Foto: Divulgação)
- Publicidade -

As quatro cidades do Litoral Norte registraram 21 casos de dengue no ano de 2019. São Sebastião teve o maior número da doença, com sete positivos. Caraguatatuba confirma cinco casos, sendo uma morte. Ubatuba informou cinco exames positivos e Ilhabela, quatro.

Em São Sebastião, a prefeitura informa que até o momento foram notificados 101 casos suspeitos. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os casos positivos são dos seguintes bairros: Juquehy (2 casos); Maresias (1 caso); Centro (1 caso); Morro do Abrigo (1 caso) e São Francisco (2 casos). Não há registro de óbito por dengue no município. O setor de Vigilância Epidemiológica realiza trabalhos preventivos de orientação da população com o objetivo de eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti na cidade.

- Publicidade -

O município de Caraguatatuba registrou 111 casos notificados de dengue; sendo destes 103 negativos; cinco positivos; três em investigação e um óbito, da médica ginecologista Ana Maria Veronesi, 51 anos, que morava no bairro Martin de Sá, no início de fevereiro.

A Vigilância em Saúde de Ubatuba informou que há um total de 39 casos notificados da doença na cidade, dos quais um foi descartado laboratorialmente e 33 aguardam laudo. Os resultados de exames NS1 confirmaram cinco casos, sendo quatro deles de dengue contraída no município: uma criança de 4 anos, moradora do Taquaral, um adolescente de 13 anos, morador do Ipiranguinha, um adulto de 31 anos, morador do Itaguá, e uma adulta de 52 anos, moradora da Enseada. O quinto caso é de um homem de 59 anos, da Marafunda, com local provável de infecção no estado do Tocantins.

A equipe da Vigilância em Saúde informou que houve monitoramento dos focos de dengue e orientação sobre o combate e prevenção da doença, começando na região Oeste de Ubatuba, pelo bairro do Mato Dentro em direção ao Ipiranguinha. As ações incluíram arrastões de eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, panfletagens, vistorias em residências e estabelecimentos públicos e comerciais.
Houve também, segundo a Vigilância em Saúde, treinamento e capacitação para médicos e enfermeiros de toda a rede de saúde, incluindo equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF), pronto-atendimentos, aldeias e Santa Casa para atendimento de casos de dengue.

Em Ilhabela, segundo a Vigilância Epidemiológica, em 2019 foram registrados 60 casos suspeitos de dengue na cidade. Destes, três foram confirmados (sendo um importado), e quatro foram descartados. Os demais aguardam resultado de exames. Não há registro de óbitos em Ilhabela.

Sintomas

Os sintomas da dengue são: febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas (articulações) e manchas vermelhas pelo corpo. A orientação é que seja ingerido muito líquido e o doente procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa. Não deixe de fazer o retorno para realização do exame laboratorial, conforme a orientação médica, e não tome medicamentos à base de salicilatos, como aspirina ou AAS, que podem aumentar o risco de agravamento de hemorragias decorrentes da doença.

Prevenção

Segundo a prefeitura de Ubatuba orienta, é necessário que a população reforce as ações de eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti, que, além da dengue, é transmissor também de zika, chikungunya e febre amarela. Todo recipiente que possa acumular água deve ser eliminado ou mantido com a boca para baixo. Isso inclui ralos externos, calhas, caixas d’água, reservatório de água pluvial (chuva), prato de vasos de plantas e mesmo o reservatório de degelo da geladeira.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui