Ubatuba desmancha campings selvagens e proíbe churrasco em praias

Ação coordenada resultou na retirada de várias barracas

1
211
Ação realizada para retirada de barracas (Foto: Divulgação/PMU)

Sete barracas de campistas, além de itens como churrasqueiras, foram retiradas das praias do Simão e do Cedro, em Ubatuba, como resultado de uma ação coordenada de fiscalização do campismo selvagem que reuniu as secretarias de Meio Ambiente e de Turismo, a Guarda Municipal, a Companhia Municipal de Turismo (Comtur) e as Polícias Militares Ambiental e Marítima.

- Publicidade -

A fiscalização do campismo selvagem tem como base o Decreto Estadual 52.388, de 13 de fevereiro de 1970, que proíbe o camping selvagem e o churrasco nas praias em todo o litoral do estado, e a Lei Municipal número 1360, de 27 de maio de 1994.

“O cidadão não pode alegar desconhecimento das leis. Houve um caso em que um indivíduo estava usando a placa de ‘proibido acampar’ como suporte para varal. Trata-se de uma total falta de respeito com nosso meio ambiente que combateremos de forma intensiva, aplicando as sanções existentes”, destaca Wilber Cardozo, secretário de Meio Ambiente de Ubatuba.

O camping em Ubatuba só é permitido em locais regulamentados pelo município. Para os amantes do Turismo Ecológico, é recomendada a contratação de um dos mais de 80 guias de turismo credenciados junto ao Ministério do Turismo, que poderão orientar as trilhas e os locais onde é permitida a prática de camping de pernoite, tais como os quintais das casas de moradores.

“Essa é uma forma de estimular o turismo de base comunitária”, explica Marcos Roberto dos Santos, diretor de Turismo da secretaria municipal de Turismo. “Além de ser um crime segundo a lei, o acampamento na praia provoca a depredação da natureza com a retirada de madeira verde para fazer fogueiras além do lixo deixado pelos campistas”, finaliza Marcos.

1 COMENTÁRIO

  1. “retirada de madeira verde para fogueira” isso me faz rir…
    Um bom campista, amante da natureza, sabe que não se faz fogueiras com madeira verde, ela não queima e só faz fumaça, bem como não fazer fogueiras em raízes de arvores e etc…
    Acredito que realmente a população não esta pronta para este tipo de liberdade e tem que haver proibição e fiscalização sim, mas não podemos generalizar a situação, muitos campistas conscientes estão sendo privados de sentir a maravilhosa sensação de conexão com a natureza por causa do erro de outros.
    O importante é, para o campista consciente que estiver lendo este comentário, possa ser contaminado por este desejo de mudar a visão de todos tem sobre campistas selvagens.
    Recolha seu lixo, recolha o lixo dos outros, conscientize com placas, converse sobre a importancia do local com outras pessoas, organize mutirão de limpeza… vamos mudar essa visão que existe… além de ajudar oque mais amamos (natureza) poderemos curtir a tal sensação de conexão com a mata sem estar em um camping cheio de gente com som alto e bebedeira.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui