Comerciantes acusam Prefeitura de Ubatuba de destruir feira de madrugada

Vizinhos teriam reclamado de uso de drogas e baderna no local

0
247
A ação teria acontecido às 3h da madrugada de terça (Foto: Divulgação)

Por Fernanda Veiga

Comerciantes da Feira de Artesanato do bairro Maranduba, em Ubatuba, acusaram funcionários da Prefeitura de Ubatuba de retirar as barracas e destruir as estruturas durante a madrugada da última terça-feira (22), sem nenhum aviso prévio. A ação teria acontecido após reclamações dos moradores locais, que denunciaram uso de drogas e desordem no local. Após o caso repercurtir nas redes sociais, o grupo foi recebido pelo prefeito Délcio Sato, que prometeu a reposição das barracas quebradas.

Em entrevista exclusiva ao Jornal Nova Imprensa,  o comerciante Roberto Tadeu Melo desabafou: “foi uma atitude irresponsável e ignorante por parte do administrador da Regional Sul, Josué de Menor. Nossa feira funciona até às 22h ou no máximo meia-noite; depois fechamos as barracas e as deixamos lá no local. São barracas reforçadas, pesadas, de ferro, senão o vento leva; a maioria delas fica montada. O que aconteceu foi uma invasão de hippies que chegavam para usar o nosso espaço; eram mais de 70 pessoas fazendo uma feirinha paralela, sem licença, sem pagar impostos. Quando íamos embora, eles usavam nossas barracas para dormir, usar drogas. Então não culpo os vizinhos que denunciaram”.

Roberto relata ainda que eram 3h da madrugada quando a prefeitura chegou e expulsou todos que estavam no local da Feira: “Chegaram e começaram a quebrar, inclusive nossas barracas; depois levaram tudo embora para a regional. Até o assessor do prefeito, o Nuno, que nos recebeu, ficou abismado”, desabafou.

Prefeito

O prefeito de Ubatuba falou com o Jornal Nova Imprensa e confirmou que houve uma reunião com os feirantes em seu gabinete:  “Tinha denúncia e clamor da população a respeito da desorganização no local. A fiscalização tem gravado a ação que foi de forma ordenada . Quanto a algumas barracas, estamos averiguando quem fez isso é já estamos, através da chefia de gabinete, vendo cada caso para solucionarmos”.

Quanto aos hippies, Sato informou que por estarem no local irregularmente, eles teriam sido retirados e suas mercadorias apreendidas.

Perguntado sobre quando a Feira poderá voltar a funcionar, respondeu que aqueles que possuem licença podem voltar imediatamente: “Os legalizados não estão proibidos de trabalhar desde que na forma da lei.Inclusiv, já mandei comprar tendas novas”, finalizou.

O que achou? Comente usando o Facebook

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui