Vereadores apelam pelo transporte gratuito de estudantes em SS

Prefeitura afirma que a suspensão da passagem está prevista na lei, mas os universitários organizam manifestação após o Carnaval

0
77
Prefeito e estudantes se reuniram na última sexta-feira (17/2) (Foto: Divulgação)
- Publicidade -

A Câmara de São Sebastião aprovou, nesta terça-feira (21/02), uma Moção de Apelo para manutenção da gratuidade no transporte universitário na cidade. A proposta é do vereador Ernaninho (PSC), que chama atenção para “as perdas irreparáveis” que o corte do benefício traria aos estudantes. Segundo ele, a medida iria ocasionar “desistência dos alunos que não possuem condições financeiras para arcar com o transporte”.

Após reuniões com o prefeito Felipe Augusto (PSDB) para pedir a manutenção do direito, que foi suspenso no começo de 2017, os estudantes da cidade organizam, agora, uma manifestação após o Carnaval, na próxima quinta-feira (2/3), com a finalidade de barrar a retirada da passagem e exigindo a gratuidade para todos indistintamente, além da reinclusão do benefício para os excluídos.

- Publicidade -

Segundo a administração municipal, os estudantes perderam o direito por força da lei de 2009. Em reunião com aproximadamente 17 estudantes, na última sexta-feira (17/2), o chefe do Executivo solicitou que cada estudante fizesse um requerimento relatando o seu caso e pedindo alteração na legislação. Segundo o prefeito, já vem sendo elaborado um projeto que altera a legislação do transporte gratuito universitário e a expectativa é que o documento seja votado pela Câmara Municipal após o carnaval. O chefe do Executivo, no entanto, reafirmou que é obrigado, neste momento, a cumprir o que determina a lei elaborada na administração anterior.

Já os universitários que reivindicam a reposição da passagem gratuita afirmaram que “o prefeito, com o intuito de enfraquecer a manifestação, individualizou os casos, justificando que cada caso precisaria de um tratamento diferente, ignorando a urgência de um problema que é coletivo”.

Os estudantes alegam, ainda, que “a intenção maior da administração municipal é o corte de gastos, tendo claro que a proposta de alteração na lei vai incluir a cobrança de 50% do valor do benefício aos estudantes. Ficaremos vigilantes às movimentações do prefeito com relação aos requerimentos deixados e às alterações na lei pretendidas pela administração”.

Já o prefeito ressaltou que considera como cenário ideal que os jovens estudem no próprio município, até por uma questão de segurança, para evitar acidentes como o que vitimou 18 alunos no acidente da Rodovia Mogi Bertioga. Para tanto, ele disse que vai tentar atrair novos cursos superiores para o município, bem como está negociando com a faculdade local uma isenção tributária tendo como contrapartida o oferecimento de bolsas integrais para os estudantes que comprovadamente não possuem condições financeiras para custear seus estudos.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, informe seu nome aqui