Sindicato cobra medidas de segurança da nova empresa contratada pela Dersa

"Consórcio Balsa Nova" assume operação na quinta-feira (25) e promete negociar as pautas dos trabalhadores na próxima semana
A empresa venceu licitação para 12 meses (Foto: Nova Imprensa)

A nova empresa contratada pela Dersa para operação de balsas nas travessias litorâneas do Estado de São Paulo assume o posto nessa quinta-feira  (25). O vencedor da licitação foi o Consórcio Balsa Nova que entra no lugar da Internacional Marítima, após 12 anos. O novo contrato é de 12 meses.

Na travessia São Sebastião/Ilhabela os pedidos do Sindicato Nacional dos Mestres de Cabotagem e dos Contra Mestres em Transportes Marítimos (Sindmestres) continuam. A nova empresa prometeu colocar as reivindicações em negociação com os trabalhadores na próxima semana. De acordo com o presidente da entidade, Valter Martins Ramos, "a insegurança é tremenda nas embarcações".

Os trabalhadores prometeram não parar durante o perídodo de transição das empresas, mas devem continuar a campanha pelo acerto de direitos trabalhistas e por equipamentos de segurança.  "Se a empresa vencedora da licitação não assinar o acordo contemplando uma tabela mínima, só nos restará a greve".

Reivindicações

Em nome dos comandantes e marinheiros, a Sindimestres pede pagamento de salários de acordo com a tabela das categorias e acordos coletivos válidos com os sindicatos de cada categoria conforme previsto no edital para licitação dos serviços através da Dersa; cumprimento dos intervalos intrajornada conforme CLT - 15 minutos em 6 horas trabalhadas para café e 1 hora de almoço em 8 horas trabalhadas ou remunerar os intervalos; manutenção imediata das embarcações e do flutuante de llhabela visando a segurança dos funcionários e dos usuários; cadeiras para os comandantes - atualmente sentariam em barreiras ou bancos velhos e quebrados. 

A categoria solicita ainda o fornecimento de uniformes, agasalhos e capas de chuva adequados para todos; capacetes para os marinheiros de máquinas e óculos escuros para os marinheiros de convés; além do pagamento imediato de periculosidade de 30% sobre o salário base para todos conforme lei vigente. 


Valter destaca que os trabalhadores transportam veículos inflamáveis, carros forte, carro de presidiários com polícia, lixo orgânico e hospitalar e poda, além do trabalho ser executado ao lado do Cais de Cargas Secas e do Terminal Marítimo Almirante Barroso (Tebar) onde ficam os navios petroleiros e oleoduto de petróleo.

Verão

O sistema de travessia São Sebastião/Ilhabela dispõe de cinco embarcações, mas até o próximo feriado de Finados, em 2 de novembro, a Dersa promete a chegada de mais duas balsas que estão em reforma, totalizando sete. A embarcação FB-10 tem capacidade para 39 veículos e a FB-28,  para 65 veículos. Para a alta temporada, está prevista a chegada da FB-20, a oitava embarcação, com capacidade para 40 veículos.

Outra novidade é que entre o fim do ano e o início de 2019, deve começar a implantação da travessia exclusiva para pedestres, com a chegada das lanchas LS-02 e LS-04, atualmente em reforma. Ambas têm capacidade para transportar até 370 passageiros cada uma por viagem e permitirão um aumento de cerca de 30% na capacidade de veículos em cada ferryboat.  Os flutuantes, tanto em São Sebastião quanto em Ilhabela, estão recebendo reforma com investimento de R$ 3 milhões. Os trabalhos deverão ser concluídos ainda em outubro.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário