Golfinho de 300 kg aparece ferido na praia e morre em Ubatuba

O animal foi resgatado pelo Instituto Argonauta com ajuda da população, mas não resistiu
O golfinho tinha sangramento e estava em choque (Foto: Instituto Argonauta)

Por Fernanda Veiga

Um golfinho com sinais de ataque de tubarão foi resgatado, nesta sexta-feira (12), pela equipe do Projeto de Monitoramento de Praias (PMP) do Instituto Argonauta, com ajuda da população, na Praia Grande, em Ubatuba, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. A  fêmea da espécie cachalote-pigmeu tinha aproximadamente 300 quilos e 2,82 metros.

A equipe realiza, neste domingo (14), a necropsia e tenta identificar a possível causa do encalhe e da morte. Segundo a diretora do Instituto, a bióloga Carla Beatriz, o óbito não se deu por causa das mordidas, que eram antigas.

Foram prestados os primeiros socorros no local e, com auxílio do Corpo de Bombeiros e voluntários, foi possível colocar o animal na maca e removê-lo até o Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Argonauta. Porém, o golfinho chegou a praia em estado de choque, com escoriações e sangramento, o que dificultou o salvamento.  "Foram aplicados medicamentos para controlar o choque, melhorar a respiração e diminuir o stress", afirmou ela.

A equipe do Instituto Argonauta orienta que ao encontrar um animal marinho debilitado, o ideal é não se aproximar, pois, dependendo da espécie, o mesmo pode se tornar agressivo caso se sinta ameaçado. Além disso, a interação pode piorar o estado do animal.



Aplicativo para salvamento

Com a primavera, a aparição de animais marinhos se torna mais frequente no litoral, já que são atraídos por águas mais quentes. Muitas espécies de aves se reproduzem nessa época e o índice de crimes ambientais aumenta consideravelmente. E, para auxiliar a população acionar ajuda, o Instituto Argonauta criou uma  ferramenta de interação colaborativa, o aplicativo "Argonauta" de onde é possível fazer registros de ocorrências de acordo com a sua localização;  fazer denúncias de infrações ambientais e comunicar ou pedir resgate de animais marinhos mortos ou debilitados..

O aplicativo móvel tem hoje o registro de 313 usuários cadastrados, com 46 registros relatados, sendo 21 acionamentos por avistamento de animais, 23 relatos de problemas ambientais e três denúncias.

Segundo Hugo Gallo, presidente do Instituto, são verificados todos os acionamentos que chegam pelo aplicativo. Os que são de competência do Argonauta, como os casos de avistamentos de animais vivos ou mortos, são atendidos diretamente e os outros são encaminhados para as autoridades responsáveis, como Polícia Militar Ambiental, Corpo de Bombeiros e órgãos de governo nas esferas municipal, estadual e federal.

O aplicativo do Instituto Argonauta é gratuito e está disponivel no Google Play ou Play Store para  download. O avistamento de animais marinhos podem ser informados ainda pelo telefone 0800 6423341.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário