2° Avifest debate preservação e turismo de observação de pássaros

Este ano o Tangará, ave símbolo de Ubatuba, é homenageada
Tangará é homenageada do ano no II Avifest (Foto: Divulgação)

A segunda edição do Festejo de Amor às Aves, Natureza e Cultura (II Avifest) chega a Ubatuba neste sábado (6) e domingo (7), no bairro das aves – Folha Seca. O evento visa a preservação dos pássaros locais e a promoção do turismo de observação (birdwatching). A ave homenageada este ano é o Tangará, símbolo de Ubatuba.

A programação gratuita, inclui as famosas passarinhadas terrestres e aquáticas, conhecidas como saídas de campo para observação de aves. Será possível visitar os famosos beija-flores do Sr. Jonas, a Fazenda Folha Verde, além das passarinhadas pelo Rio Cajarana conduzidas por barqueiros capacitados pela ProMata. Associado à programação das celebrações municipais e nacionais do “Dia da Ave” a II Avisfest celebra essa relação entre seres humanos e pássaros.

A cantoria fica por conta João Terra, Concertada, Sander Barbosa & Myltinho César e Lenin Terra. Ranchinhos fazem a composição da Feirinha Gastronômica e de Artesanato com temática de aves.  Delícias para todos os gostos e bolsos. LéKumKré coordena as gincanas e atividades lúdicas para crianças e adultos. Teatro de Fantoches ProFauna e contação de história com Claudia Oliveira.  Haverá ainda a apresentação de dança indígena “Tangará”, da Aldeia Boa Vista.

Ave Homenageada

O evento tradicionalmente é aberto com o pedido de “Proteção do Tangará”. Esse ano além da abertura, a tangará fêmea é a homenageada do ano, junto ao ninho no cartaz do evento. Entre as aves é comum apresentarem dimorfismo sexual. As fêmeas geralmente são pardas, em tons de marrom e bege, em alguns casos são verdes, como a Tangará. Quando as fêmeas são coloridas, frequentemente sua plumagem é mais “desbotada” em relação a do macho.  Dessa forma elas ficam menos visíveis para os predadores, protegendo assim seus ninhos.

No período de reprodução, os tangarás machos executam verdadeiras danças diante das fêmeas. Vários enfileiram-se num galho e exibem-se, um de cada vez, sempre a esquerda da fêmea. Depois de executarem o ritual, cada macho vai ao fim da fila e espera a sua vez para exibir-se novamente. As fêmeas, atraídas por essas exibições, escolhem apenas um parceiro.

É a fêmea que constrói, numa moita, um pequeno ninho de folhas e musgo, atapetado de teias de aranha. Aí põe dois ovos, que choca durante três semanas. Os filhotes são alimentados principalmente com insetos para crescerem mais depressa. 

Passarinheiro do ano

O ornitólogo amador Carlos Rizzo, criador do Festival de Observação de Aves de Ubatuba, pioneiro nos esforços para conservação da avifauna de Ubatuba é o “Passarinheiro do Ano – Avifest”. Rizzo, tem destacado pioneirismo na observação de aves e extrema relevância no desenvolvimento do turismo sustentável, associado à atividade. Formou e motivou diversos passarinheiros, além de ser indutor de grupos e coletivos importantes na região da Costa Verde do Brasil. Por seu notório saber e disseminação de seu amor, contribuiu diretamente para o surgimento da Avifest.

História do evento

O festejo nasceu da semente plantada pelo famoso passarinheiro, “Seu Jonas”, que mantém com amor em seu sítio na Folha Seca um ponto de observação de aves reconhecido internacionalmente. Inspirados por essa importante iniciativa, desejando multiplicar essa importante iniciativa, membros do negócio social MudaMundo e da Associação de Moradores e Amigos da Folha Seca – AMAFS iniciaram o processo de cocriação da Avifest e ProMata, UbatubaBird. O Caiçara Criativo, Rede Agroecológica Caiçara, APPRU, LéKumKré aderiram rapidamente a rede de colaboração, fazendo do sonho realidade em 2017.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário