Diretor da Ecopav é preso por falsificação de documento

Ele é acusado ainda de estupro de memores e de participar do maior assalto a transportadora no Paraguai
Movimentação em frente à Ecopav (Foto: Divulgação)

Era para ser uma ocorrência corriqueira de ameaças, mas se transformou na descoberta de um procurado da justiça e ainda acusado de participar de um dos maiores assaltos a uma transportadora de valores no Paraguai. Este foi o caso registrado na tarde desta terça-feira (21), nas dependências da Ecopav – empresa responsável pela coleta de lixo em São Sebastião.

Segundo informações do tenente Lourenço, da Força Tática da Polícia Militar, que fazia Atividade Delegada na cidade, por meio de denúncia anônima a equipe foi informada que um grupo de trabalhadores da empresa se dirigia para a sede, na região central, para cobrar direitos trabalhistas, sendo que uma das pessoas estaria armada. 

No local, foram recebidos pelo diretor W.R., 38 anos, que disse estar tudo resolvido. “Como não encontramos nada de anormal, solicitamos a documentação dele para o registro de atendimento, momento que se mostrou nervoso e perguntou se não poderia ser de alguém do RH. Expliquei que não, que como ele havia falado com a gente, precisava do documento dele”.

Neste momento, conforme o tenente, ele disse que só estava com documento paraguaio, que tinha dupla nacionalidade. Com o nome dele em mãos, ao fazer busca no sistema da polícia, descobriu-se que era procurado por falsificação de documento, em Votuporanga (SP) sendo dada voz de prisão. 

Na delegacia central, a descoberta foi ainda maior, onde foi constatado que tem 11 processos em seu nome, sendo três por estupro de vulnerável de crianças de 6,9 e 12 anos, inclusive com mordidas nas vítimas.

Ele também aparece como acusado de ser o 16º envolvido naquele que é considerado o maior assalto a uma transportadora de valores do Paraguai. O roubo foi contra a empresa Prosegur -  registrado em abril de 2017 em Ciudad Del Este. 

Segundo a Polícia Nacional do Paraguai, os bandidos usaram explosivos para arrombar o cofre da empresa, de onde levaram cerca de US$ 11,7 milhões, e trocaram tiros com vigilantes. A ação durou aproximadamente três horas.

Na casa onde R. estava, um condomínio de luxo em Hernandarias, também no Paraguai, foram encontrados drones, filmagens da transportadora e carros blindados. 

O Nova Imprensa entrou em contato com a Ecopav, mas não obteve retorno até o momento.


Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário