Após onda de violência, Angra deve seguir modelo da guarda armada de Ubatuba

Cidade vizinha está em estado de emergência por conta da guerra pelo tráfico de drogas
Ubatuba seria rota de fuga para Comando Vermelho (Foto: Divulgação)

A cidade de Angra dos Reis, no sul do Rio de Janeiro, tomou os notíciários nos últimos dias por conta da onda de violência proveniente do tráfico de drogas. O prefeito Fernando Jordão (MDB) decretou estado de emergência e pediu ajuda federal. Por outro lado, o legislativou acionou a cidade vizinha e deve implementar uma guarda armada nos moldes da Guarda Civil Municipal de Ubatuba (GCM).  

O órgão foi convidado a participar de uma audiência pública na Câmara Municipal de Angra na última quinta-feira (23), onde a questão da segurança foi fortemente discutida. A ideia da participação da GCM surgiu a partir do evento Conexidades, ocasião em que o presidente da Câmara de Angra esteve junto com o vereador Sargento Thimoteo em Ubatuba e observaram o funcionamento da corporação ubatubense.

Tráfico de Drogas

Angra dos Reis registra um aumento nos índices de violência desde 2014, quando traficantes do Comando Vermelho (CV) começaram a migrar da capital e desde então a facção tem lutado contra outros grupos pelo domínio do tráfico de drigas na região. Na semana passa o Comando tomou o controle de uma das maiores favelas da cidade, a comunidade de Belém, e os tiroteios ininterruptos foram filmados e divulgados, gerando pânico nas redes sociais.

Essa guerra pelo comando do tráfico de drogas na região é estratégica, dada a posição geográfica da cidade, que fica nas margens da rodovia Rio-Santos. Além disso, informações dão conta de que a cidade de Ubatuba também seria uma rota de fuga dos criminosos pela fronteira e até para desova de cadáveres.

GCM

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social de Ubatuba, Major Rubens Martins Franco Junior, o comandante da GCM de Ubatuba, Almir Rogério Feliciano de Moura e o sub- comandante Alves, também da GCM, representaram a cidade na audiência.

O comandante Almir informou que cedeu todo o modelo de documentação, estatuto, plano de carreira - tudo de acordo com as Leis Federais, da GCM para que haja a implantação desses moldes na Guarda de Angra – caso sua criação seja aprovada.

O vereador autor do convite destacou que os problemas com a segurança não são uma novidade em Angra e reforçou a importância de uma guarda municipal armada no município. “Isso vai trazer mais segurança e mais tranquilidade para a nossa população que se sente tão insegura. A Polícia Militar faz o seu trabalho, mas o complemento da Guarda será muito importante”, afirmou.

“Está na hora de buscarmos esse recurso e montarmos a guarda armada, até porque, o secretário de Segurança do RJ, general Richard Fernandez Nunes, esteve em Angra e fez essa reivindicação ao prefeito, salientando a necessidade da medida”, concluiu o parlamentar.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário