Dersa altera contrato e Queiroz Galvão demite 120 das obras do Contorno

Expectativa é que construtora volte a contratar após auditoria
Obra chegou a ter quase 2 mil funcionários (Foto: Arquivo)



Por Fernanda Veiga

Há pouco mais de uma semana a Construtora Queiroz Galvão demitiu pelo menos 120 funcionários que trabalhavam na obra da Nova Tamoios Contorno (Trecho Sul) que está em construção entre Caraguatatuba e São Sebastião.
De acordo com Agnaldo Abreu, representante do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Estado de São Paulo (Sintrapav-SP), a paralisação foi por parte da Dersa – Desenvolvimento Rodoviário S/A – responsável pelo empreendimento,  que teria pedido o contrato da obra para averiguar problemas técnicos. 

“Com isso, a obra sofreu uma pausa e os trabalhadores foram desmobilizados do contorno. Alguns foram realocados na construção da nova Serra na Rodovia dos Tamoios e outros dispensados”.

Em nota, a Dersa esclareceu que, em razão de uma nova diretoria ter assumido no dia 29 de maio de 2018, a Companhia considerou por bem tomar conhecimento e fazer uma avaliação dos contratos de seus empreendimentos. No caso dos lotes 3 (trecho Caraguá - São Sebastião e 4 (Enseada à Topolândia, em São Sebastião) da Nova Tamoios Contornos, houve a necessidade de uma suspensão temporária do contrato para que houvesse tempo suficiente para essa avaliação, que levou uma semana. Esse processo já foi concluído e a contratada informada a respeito. A abertura ao tráfego está prevista para o próximo ano.

Por conta dessas alterações, o total de trabalhadores na obra do contorno realizada pela Queiroz Galvão era de 310 antes das demissões. No auge do empreendimento ela chegou a ter quase 2 mil funcionários diretos. 
Segundo o sindicalista Agnaldo Abreu, a Queiroz Galvão ficou de rever algumas demissões, dando prioridade para membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), Portadores de Necessidades Especiais (PNEs) e, gradativamente, outros conforme a demanda.

A Obra

O Contorno de São Sebastião consiste na construção de uma nova pista de acesso ao Porto de São Sebastião para retirada do tráfego rodoviário da Rio-Santos (SP-55), que atualmente corta boa parte do trecho urbano do município. O objetivo é levar mais segurança e outros benefícios para usuários do Porto, aos moradores da região e turistas e veranistas que frequentam o Litoral Norte.

A Queiroz Galvão é responsável pela construção nos lotes 3 e 4 que vão do bairro Enseada, na Costa Norte, até a Topolândia, na região central de São Sebastião. São cerca de 9 quilômetros de extensão, sendo 6 quilômetros do trecho em túneis e outros três quilômetros em viadutos e terraplanagem.

O valor da obra,quando licitada, era de R$ 818 milhões para os lotes 3 e 4. Elas tiveram 
início em junho de 2014 e o prazo estipulado para a conclusão era de 36 meses, devendo ficar pronta em junho deste ano, depois passou para novembro de 2018, mas a entrega ainda não chegou a ser confirmada.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário