Após surto de sarampo, Litoral Norte adere a campanha nacional de vacinação

As doses podem ser encontradas em todas as UBS e postos volantes entre 4 e 31 de agosto
Campanha começa no dia 6 de agosto no Litoral Norte (Foto: Divulgação)

Por Fernanda Veiga

O Litoral Norte adere a campanha nacional de vacinação contra a poliomelite e sarampo a partir do dia 4 até 31 de agosto, sendo o dia 18 de agosto, das 8 às 17h, o Dia de Mobilização Nacional - o 'Dia D'. Com mais de 234 casos confirmados e dois óbitos, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil vive um surto de sarampo. 

A doença havia sido erradicada do país em 2016, porém hoje ocupa o segundo lugar em casos confirmados – ficando atrás apenas da Venezuela. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a situação se agravou rapidamente devido ao grande número de imigrantes venezuelanos atravessando a fronteira e foi criado um plano emergencial de contenção do surto de sarampo em Roraima, estado com maior número de casos.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, extremamente contagiosa, mas que pode ser prevenida pela vacina. Pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade.

O período de incubação dura cerca de sete dias, onde surge a febre, acompanhada de tosse seca, coriza, conjuntivite e fotofobia. Do 2° ao 4° dia desse período, surgem as manchas vermelhas, quando se acentuam os sintomas iniciais. O paciente apresenta prostração e lesões características de sarampo: irritação na pele com manchas vermelhas, iniciando atrás da orelha (região retroauricular).

A vacinação contra o sarampo é a única maneira de prevenir a doença; na rede pública, vacina administrada é a tríplice viral: protege contra caxumba, rubéola e sarampo.

Quem comprovar a vacinação contra o sarampo conforme preconizado para sua faixa etária, não precisa receber a vacina novamente.

Não devem receber a vacina:

Casos suspeitos de sarampo
Gestantes - devem esperar para serem vacinadas após o parto. Caso esteja planejando engravidar, assegure-se que você está protegida. Um exame de sangue pode dizer se você já está imune à doença. Se não estiver, deve ser vacinada um mês, antes da gravidez. Espere pelo menos quatro semanas antes de engravidar.
Menores de 6 meses de idade
Imunocomprometidos

Poliomielite

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia. O déficit motor instala-se subitamente e sua evolução, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido.

A vacinação é a única forma de prevenção da poliomielite. No  Brasil, desde a década de 90 não registra casos da doença graças a campanhas maciças de vacinação. Porém, segundo o Ministério da Saúde, a adesão tem sido menor. Devem ser vacinadas contra a paralisia infantil crianças de zero a quatro anos, 11 meses e 29 dias.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário