Suspeitos de matar estudante são presos nas casinhas populares

Prisão preventiva de 30 dias contra dupla é solicitada pela Polícia Civil
Dupla encontrada escondida em uma casa (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Por Fernanda Veiga

Na manhã desta quinta-feira (28), E.D.G.D.F., 36 anos e seu sobrinho L.D.S.D.F., 23 anos, acusados de matar o estudante Matheus Gomes de Almeida, 17 anos, foram presos nas casinhas populares localizadas no bairro Casa Branca, região norte de Caraguatatuba. A prisão aconteceu após a polícia receber uma denúncia do paradeiro da dupla. Ambos tinha passagem pela polícia.

“Chegamos aos dois por meio de investigações que começaram logo após o crime, sendo que a polícia não parou em nenhum momento. Também houve denúncias e todas foram devidamente apuradas”, contou o delegado do 1° DP no Porto Novo, na região sul, Victor Falcão. 

Ainda conforme ele, o revólver calibre 38 usado como arma crime, havia sido escondido em um matagal da Estrada do Pirassununga, no bairro Porto Novo, e foi resgatado pelos investigadores.

“Os indivíduos cumprem agora prisão temporária de 30 dias, serão interrogados e solicitarei prisão preventiva para que fiquem mantidos presos até a condenação e assim continuem”, concluiu. 

A dupla deve ser transferida para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Caraguatatuba. 

O Crime

A morte do estudante chocou a cidade de Caraguatatuba, no dia 19 de junho, pela forma como aconteceu: Matheus seguia para o Instituto Federal onde apresentaria seu TCC e foi baleado por conta de um celular mesmo sem reagir ao asslato. Eram 7h20 quando ele foi alvejado por dois tiros no peito e morreu no local.

No último domingo (24), a comunidade, familiares e igreja do bairro Travessão, onde o estudante morava realizaram uma Caminhada pela Paz, que reuniu mais de 600 pessoas.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário