Polícia Ambiental apreende redes de pesca irregulares em Ubatuba

Junto com peixes são capturadas tartarugas que acabam morrendo 
Policiais recolhem redes encontradas (Foto: Divulgação/PA)

Por Fernanda Veiga

Em patrulhamento marítimo por Ubatuba, na quarta-feira (21), policiais militares da Companhia de Policiamento Ambiental Marítimo do 3° Batalhão de Polícia Ambiental do Estado de São Paulo (CiaMar) encontraram uma rede de pesca do tipo “Espera Boiada” armada na praia do Porto Novo, dentro da Área de Proteção Ambiental Marinha Litoral Norte (APAM-LN).

O petrecho tinha cerca de 50 metros de comprimento e não possuía nenhum tipo de identificação do proprietário, sendo apreendido para posterior destruição. 

Conforme a Polícia Ambiental, esse tipo de rede coloca em risco os banhistas, prática de esportes aquáticos e contraria a legislação vigente. Elas também capturam peixes como tainhas, sororocas e anchovas, mas tartarugas também são pegas pelas redes e morrem afogadas, pois não conseguem submergir para respirar. 

Outras duas redes foram localizadas e apreendidas pelos Policiais da CiaMar na Praia da Lagoa, com 70 metros cada, ambas a menos de 200 metros da área de banhistas.

Foi necessário o uso das viaturas com tração 4x4 e mais um trecho a pé, por mata fechada, até se chegar na Praia da Lagoa, onde a equipe recolheu as redes em meio a forte correnteza.

Segundo a CiaMar, as redes devem conter a identificação do proprietário - uma plaqueta com os dados do pescador - em local visível, geralmente presa nas extremidades, junto à "bandeira". Sem isso ou a presença do pescador nas proximidades, a rede é considerada irregular, assim como na zona de arrebentação, exceto em praia considerada desabitada ou sem fluxo de pessoas. Em ambos os casos devem ser informados à polícia. 

Até o momento, não foi possível identificar os responsáveis pelas redes apreendidas. A CiaMar pede que as denúncias sejam feitas pelo telefone (12) 3842-0123.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário