Marinha e Escoteiros do Mar comemoram aniversário da Batalha de Riachuelo

O evento acontece dia 8 de junho no Centro de São Sebastião
Batalha do Riachuelo completa 153 anos (Imagem: Divulgação)

Por Fernanda Veiga

A Delegacia da Capitania dos Portos de São Sebastião realiza, nesta sexta-feira (8), às 10h30, cerimônia alusiva ao 153° Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, considerada a Data Magna da Marinha. A celebração é para relembrar o feito mais importante da Marinha Brasileira, um dos principais eventos militares ocorridos durante a Guerra do Paraguai. 

Em sua programação, haverá discurso do delegado da Capitania dos Portos em São Sebastião, Capitão de Fragata Wagner Goulart de Souza, além da celebração do Dia do Escoteiro do Mar, com discurso do presidente do Grupo Escoteiro do Mar Guaravita, Moisés Figueiredo da Silva e entrega de Medalhas de Gratidão e Distintivos Especiais aos Escoteiros do Mar.

Em 1907, ano que o movimento escoteiro (Scouting for Boys) havia sido fundado, muitos Oficiais e Praças da Marinha Brasileira estavam na Inglaterra e vários se impressionaram com esse novo método de educação complementar que o General Britânico Baden Powell havia idealizado. Entre eles estava o Suboficial Amélio Azevedo Marques que ingressou seu filho, Aurélio, em um Grupo Escoteiro na Inglaterra sendo assim o primeiro escoteiro brasileiro. 

O escotismo foi introduzido no Brasil em 1910.
Essa parceria entre os Escoteiros do Mar e a Marinha do Brasil existe desde então e tem sido fundamental para que os Grupos Escoteiros do Mar pudessem dar aos jovens brasileiros uma excelente formação de cidadania, civismo e a difusão da cultura náutica.

“A Medalha de Gratidão foi instituída em 1947 para reconhecer pessoas e instituições que se empenham para apoiar as atividades dos Escoteiros do Mar e cujo trabalho é  tornar o mundo um lugar melhor de se viver, por meio da educação da juventude através do Método Escoteiro, e, quando uma pessoa ou instituição ajuda o movimento escoteiro, está ajudando a construir um mundo melhor”, segundo o presidente do Grupo Escoteiro do Mar Guaravita.

Após discurso do Comandante da Marinha, Eduardo Bacellar Leal Ferreira, que já foi um Escoteiro do Mar e é um entusiasta por escotismo, haverá uma cerimônia de condecoração com a Medalha de Gratidão, entregue pelo Diretor Presidente do Grupo Escoteiro do Mar Guaravita Moisés Figueiredo da Silva: José Pereira de Aguilar Junior, Prefeito do Município de Caraguatatuba; Capitão de Fragata Wagner Goulart de Souza, Delegado da Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião; Coronel PM Eliane Nikoluk Schachetti, Comandante do Comando de Policiamento do Interior – CPI-1- que foi escoteira em Campos do Jordão-; Eugênio de Campos Júnior, Escoteiro e Vice-Prefeito do Município de Caraguatatuba – e Chefe Escoteiro na década de 90-; Capitão de Corveta Josciê Teixeira Leite Junior, Imediato da Delegacia da Capitania dos Portos em São Sebastião; Maria Luiza Baracat, Secretária Municipal de Comunicação Social de Caraguatatuba.

E ainda os Chefes Escoteiros: Janeleide Aparecida Naves de Oliveira, Chefe de Tropa Escoteira; Carlos Eduardo Mendes Lemos, Chefe Assistente de Tropa Sênior; Marcio Fernandes, Diretor de Relações Institucionais.

Os distintivos especiais são parte do programa educativo do Método Escoteiro, as graduações máximas que o jovem pode atingir nos ramos que são divididos em faixas etárias.  Para a conquista desses distintivos especiais, os jovens devem ter, além de muita dedicação, empenho e conhecimento técnico, um elevado espírito de fraternidade e amizade, serem bem avaliados pela equipe de chefia e serem também uma referência aos outros escoteiros.

Serão condecorados com o Distintivo Especial de Lis de Ouro, graduação máxima do Ramo Escoteiro, que compreende jovens de 11 à 14 anos os escoteiros: Deisiane Rodrigues de Jesus, e Kenedy Rodrigues de Oliveira.
E condecorado com o Distintivo Especial de Escoteiro da Pátria, graduação máxima do Ramo Sênior, que compreende jovens de 15 à 18 anos, o Sênior Luiz Gustavo Macedo de Oliveira.

“A minha ideia, enquanto presidente, é tornar esse momento inesquecível aos jovens e aos seus familiares.”, promete Moisés Figueiredo da Silva.

A Batalha do Riachuelo
Durante a Guerra do Paraguai, no dia 11 de junho de 1865, nas margens do rio Riachuelo, um afluente do rio Paraguai (situado na província de Corrientes, Argentina), ocorreu a Batalha do Riachuelo, onde aproximadamente 2.500 militares brasileiros combateram.

O Paraguai, sem conexão com o mar, queria muito controlar os rios da bacia do Prata, pois significava uma saída para o Oceano Atlântico, ou seja, uma via de transporte de pessoas e mercadorias.

A estratégia paraguaia foi aproveitar o nevoeiro intenso da madrugada para atacar os navios de guerra brasileiros. Porém, um dos navios paraguaios apresentou um problema e fez com que todos outros chegassem atrasados (9 horas da manhã) para o ataque, num momento que o nevoeiro já havia passado. 
Com boas condições climáticas e visuais, as forças navais brasileiras, lideradas pelo Almirante Barroso venceram o Paraguai nesta importante e estratégica batalha.

Serviço

153° Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo
Data: 8 de junho de 2018, às 10h30
Local: Avenida Doutor Altino Arantes, 544, Centro - São Sebastião - SP
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário