Estudante de 17 anos é assaltado e morto por causa de celular

Polícia analisa imagens de vídeo com suspeitos do crime ocorrido no Travessão
Jovem seguia para faculdade quando morreu (Foto: Reprodução)

O jovem Matheus Gomes de Almeida, 17 anos, foi morto após um assalto por conta de um celular no bairro do Travessão, zona sul de Caraguatatuba, por volta das 7h20 desta terça-feira (19/6).

Ele estava a caminho do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Campus Caraguatatuba, onde cursava o terceiro módulo do curso técnico de administração, quando foi abordado por dois suspeitos em uma bicicleta. Hoje ele apresentaria o seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

De acordo com a Polícia Civil, o estudante não teria reagido ao assalto, mas ainda assim foi alvejado por dois tiros no tórax e não resistiu. O crime aconteceu na Rua Francisco Antonio da Costa.

Vídeos recebidos pelo delegado em exercício do 1º DP, Victor Daros Falcão, titular da DIG/Dise, mostram dois homens de bicicleta nas imediações do local.  Ele pede que quem tiver informações sobre os suspeitos para entrar em contato com a Polícia Civil por meio do telefone 197 que a identidade será preservada.

Latrocínio

Conforme o delegado, as investigações seguem como latrocínio uma vez que o celular do jovem foi levado pelos assassinos. “Não trabalhamos com acerto de contas ou vingança e o rapaz não tinha nenhuma passagem pela policia”.

Segundo amigos, Matheus Almeida era tranquilo, embora não levasse desaforo para casa, caseiro e ótimo aluno. Nas redes sociais, o amigo Felipe fez uma homenagem: “um menino de muitos sonhos, cuja a única coisa que queria era ser feliz e ser reconhecido por todos. O menino alegre, extrovertido, brincalhão, que dava conselhos e também sempre escutava quando era para ele. Um menino que sonhava em ser administrador de empresas, menino que tinha muitas dúvidas sobre o amor. Agora me dói ver que quando eu chegar não vou mais te ver no muro de casa querendo conversar sobre muitas coisas da vida e saber que me admirava. Mas também sabia mais que ninguém que eu sempre acreditei nele e que iria conseguir tudo em sua vida porque era guerreiro. Sempre o admirei desde pequeno. Fico feliz dele ter me considerado um dos seus melhores amigos, não só amigo, era meu irmão, como dizia mentor. Que falta você está fazendo meu irmãozinho...”

Em virtude do acontecido, a diretoria geral do Instituto Federal suspendeu todas as suas atividades no dia de hoje. O corpo do estudante será enterrado no Cemitério Municipal do Indaiá em horário a ser definido.






Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário