Boleiras de Santo Antonio garantem tradição da festa de Caraguá

Milhares de pessoas fazem filas para comer um pedaço do doce e torcer para que venha uma das 1 mil medalhinhas do padroeiro
Boleiras se orgulham do famoso bolo do padroeiro (Foto: Nova Imprensa)

Uma das tradições mais antigas da Festa do Padroeiro de Caraguatatuba é a venda do Bolo de Santo Antonio. Há vários anos, milhares de pessoas fazem filas após as missas da manhã (seguida do casamento comunitário) e da noite para comprar um pedaço da iguaria e torcer para que venha uma das 1 mil medalhinhas do santo, um forte indicativo de que será abençoada e, quem sabe casar, já que ele é também conhecido como o santo casamenteiro.

Quem há vários anos trabalha na confecção desse bolo é Maria Tereza Miranda da Silva, a Dona Teresinha ou Teresinha do Quincas, 85 anos, devota de Santo Antonio e que faz questão de acompanhar de perto o trabalho de montagem.

A receita chega a 50 formas de massa, 40 quilos de doce de leite, 20 quilos de ameixa, quatro quilos de coco, quatro fardos de guaranás usados pra amaciar o bolo e o recheio. São, ainda, 1 mil medalhinhas distribuídas nos quatro bolos, sendo 250 em cada um que leva 12 massas de pão de ló. O que o grupo de seis amigas não faz é apenas o confeito, que tem um especialista para a decoração junto com o papel de arroz com a imagem do santo.

Todos os ingredientes usados na confecção do bolo são doados pela comunidade, um orgulho para Dona Teresinha que sabe a importância do evento para a Igreja Matriz de Santo Antonio.  “Graças a Deus eu tenho muitos amigos que nos ajudam todos os anos”.

Devoção

A devoção de Dona Teresinha por Santo Antonio vem desde criança, aos 5 anos, quando sua família recebia padres de Paraibuna que vinham rezar missa em Caraguá.  “Como a gente é católica, eles ficam em nossa casa”, relembra.

Além dos colaboradores tem as companheiras da cozinha, entre elas, Dona Rosalva Oliva de Almeida Garcia, 80 anos, que mesmo com o marido doente há mais de três anos, faz questão de comparecer todo dia 12 de junho para ajudar a fazer o bolo.

“Me enche de louvor fazer este trabalho. Cada pedaço de bolo que sai é uma glória”, conta Dona Rosalva que frisa que “abaixo de Deus está Santo Antonio me dando força, saúde, amor ao próximo que é a melhor coisa do mundo.

Ainda conforme ela, “Santo Antonio entrou na minha vida no momento mais precioso, que eu precisava muito e hoje retribuo como posso”.

Melhorias


Todo dinheiro arrecadado com a venda do bolo, são R$ 2 cada pedaço, é usados em melhorias da Igreja Matriz. 

Para este ano, Dona Teresinha almeja que seja feita a reforma do altar trazido de São Paulo por seu marido. “Por 21 anos ele foi vereador e ex-prefeito de Caraguatatuba”, relembra.

Para ela, como a proposta é da Paróquia ser transformada em Santuário, esse seria o momento ideal. Inclusive, ela agradece ao padre Marcos, ex-pároco, e ao atual, Padre Beto, por essa luta. “Faço 86 anos em agosto e espero estar aqui no próximo ano para ver esta conquista”.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário