Falsas notícias atrapalham buscas por pescadores entre Ilhabela e São Sebastião

Marinha e Bombeiros pedem colaboração para não atrapalhar o resgate
Bombeiros intensificam buscas após boatos (Fotos: Divulgação)

Vários áudios e informações desencontradas marcaram esta quarta-feira (16), segundo dia de buscas por dois homens que desapareceram no mar após saírem para pescar do Rancho de Pescadores, em São Sebastião, em direção ao Borrifos, Sul de Ilhabela. Equipes do Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), Marinha do Brasil e Defesas Civil dos dois municípios tiveram que interromper as buscar por conta as chamadas ‘fakes news’ afirmando que os dois haviam sido encontrados.

No final da tarde foram expedidas notas pelas autoridades desmentindo as informações e alertando para que só se divulgassem os dados oficiais. O comandante do GBMar no Litoral Norte, capitão João Batista Rapaci, contou que recebeu vários áudios e as equipes buscaram informações no Hospital Mário Covas, no Arquipélago, mas, nada foi concretizado. 

“Checávamos as informações que também chegavam para nós, mesmo com as equipes no mar, mas tudo que saiu, que tinham sido resgatados por um barco cheio de camarão, não confere. As buscam continuam”.

Por conta das falsas notícias, a Defesa Civil de Ilhabela informou que as buscas chegaram a ser suspensas na parte da tarde, mas já foram retomadas. A Defesa Civil de São Sebastião usou as redes socais para alertar sobre as informações falsas.


Destroços localizados na manha desta quarta-feira
Destroços da embarcação Petelleco foram localizados na manhã de hoje no extremo sul do arquipélago por um grupo de pescadores, mergulhadores e bombeiros.

São sete homens e duas embarcações por parte do Grupo de Bombeiros, helicóptero da Marinha, mais equipes das Defesas Civis em ação no mar e por terra.  Foram vasculhados da Ponta do Boi até a Ponta Sela, sendo que o mar estava ruim até Areado, no lado de Ilhabela, e depois em condições de navegabilidade, e também de Boiçucanga até o Canal de São Sebastião, margeando a costeira, mas nada além dos destroços foram encontrados.

Segundo o capitão Rapaci, familiares de um dos desaparecidos foram de barco até Castelhanos e Búzios e não acharam nada.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário