Ilhabela abre circuito de visitação da Fazenda Engenho D’Água com escolas

Público em geral pode conhecer o local histórico de sexta a domingo, das 9h30 às 11h30 e das 14h às 17h
A parte interna deve ser aberta em um segundo projeto (Foto: PMI/ Divulgação)

Depois da abertura dos portões de acesso à Fazenda Engenho D’Água para visitação pública, em março, pela Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Cultura, duas escolas devem inaugurar o Circuito externo de visitação.

Trata-se do Colégio ACEI, que visitará a fazenda com 15 alunos na quinta-feira (3), e o Colégio Objetivo, que levará ao local histórico duas turmas de 40 estudantes nos dias 9 e 10 de maio.

A abertura da fazenda é um anseio antigo da população ilhéu. O local conta parte da história do arquipélago, estará dentro de um grande roteiro histórico e cultural, e integrará o projeto ‘Caminhos da nossa História’ e o Parque Histórico e Arqueológico de Ilhabela.

Roteiro

O percurso se dá pela área externa, não contemplando a sede (para a qual será elaborado um projeto específico), obedecendo às regras de visitação. O circuito tem início a partir dos jardins da fazenda, local onde antigamente se desenvolvia cultivos de gêneros alimentícios para consumo próprio. Ali o visitante poderá contemplar a edificação e suas características arquitetônicas preservadas em sua face externa, bem como a bela paisagem, também tombada como patrimônio nacional.

O roteiro segue pela estrada de acesso ao reservatório de abastecimento e distribuição de água para a produção de aguardente, o qual mantém preservadas as comportas originais de escoamento. Os visitantes passarão ainda pelo aqueduto que conduzia a água represada e também a roda d’água que movimentava o maquinário para moagem da cana de açúcar.

A visita será terminada nos tonéis de armazenagem e área de envasamento da famosa aguardente denominada “Fazenda Engenho D’água”, vendida em Ilhabela e nos mercados de Santos para onde era transportada em canoas de voga.

A Fazenda Engenho D´Água

A Fazenda Engenho D’ Água corresponde a exemplar arquitetura civil datada do século XVIII, e apresenta semelhanças com as construções mineiras de meia encosta, sugerindo uma mesma origem e época. Esta construção abrigava num mesmo local moradia e espaço destinado à produção de aguardente, atividade que perdurou até as primeiras décadas do século XX, não sendo ainda conhecida a data exata do seu término.

A fazenda foi restaurada na década de 1940 e tombada em 1951 pelo antigo Sphan, atual Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), em ação de salvaguarda realizada por Carlos Drummont de Andrade. A fazenda também é tombada pelo Condephaat.

Horários

Público em geral – Sextas-feiras, sábados, domingos e feriados das 9h30 às 11h30 e das 14h às 17h com saídas a cada 30 minutos.

Escolas – Quartas e quintas-feiras mediante agendamento prévio a ser realizado de segunda à sexta-feira das 10h às 17h, junto ao Centro Cultural da Vila (telefone 3896-6069, com Miriam).



Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário