Presidente do Yacht Club de Ilhabela é preso pela Polícia Federal

O comodoro e ex-assessor do presidente Temer é investigado por fraudes no setor portuário
Yunes e o prefeito de Ilhabela, Marcio Tenório (Foto: R.Náutica/ Divulgação)

O presidente do Yacht Club de Ilhabela, José Yunes, foi preso pela Polícia Federal, na manhã desta quinta-feira (29/3). Aos 81 anos, o comodoro é ex-assessor e amigo pessoal do presidente da República Michel Temer. 

Ele foi detido após deflagração da Operação Skala, que apura irregularidades no decreto dos portos em São Paulo e no Rio de Janeiro. A suspeita é de que agentes públicos teriam beneficiado empresas do setor portuário com a publicação de uma medida provisória. Os detalhes da investigação estão sendo tratados com sigilo pela Polícia Federal.

Conhecido por trocar uma mansão em Ilhabela, onde promovia festas para a alta sociedade, por um barco-pousada, Yunes teve a prisão decretada temporariamente, por cinco dias, pelo ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do inquérito. O suspeito permanece na sede da Superintendência da PF em São Paulo, no bairro da Lapa.

Em nota, o advogado de Yunes, José Luis Oliveira Lima, classificou a prisão como “inaceitável”. De acordo com ele, seu cliente estava colaborando com as investigações.

Tambem foram alvos da ação, os aliados de Temer coronel João Batista Lima Filho e o ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi. Além do empresário Antônio Celso Grecco, presidente do grupo Rodrimar, que atua no Porto de Santos. Outros 15 mandados ainda foram cumpridos na quinta.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário