“Foi um tsunami de barro que passou por São Sebastião”, afirma prefeito

Pelo menos 80 pessoas ficaram desabrigadas e a estimativa é que o prejuízo chegue aos R$ 50 milhões
Prefeitura ficou tomada pela lama (Foto: PMSS Divulgação)

O prefeito de São Sebastião, Felipe Augusto classificou como tsunami o que ocorreu na tarde e noite de quarta-feira (14) no município. “Foi um tsunami de barro o que houve na Vila Amélia”, disse ele após percorrer a cidade contabilizando os prejuízos. “Graças a Deus não tivemos nenhuma vítima fatal”, completou.

Após decretar Estado de Emergência Augusto espera conseguir recursos junto aos governos estadual e federal para reconstruir as áreas mais atingidas. A estimativa de prejuízo é de R$ 50 milhões. Pelo menos quatro casas foram ao chão na região da Topolândia/Olaria e mais de 80 pessoas (25 famílias) estão abrigadas no Centro Comunitário do bairro.

“Desde que moro em São Sebastião nunca tinha visto uma enchente dessa natureza”, relatou o prefeito. Ainda de acordo com ele, a enxurrada de lama foi provocada após o córrego do Outeiro ter subido acima do limite, represado a água dentro da Petrobras e derrubado o muro da empresa.

“Infelizmente todos os córregos, do Varadouro ao São Francisco transbordaram e aliado ao fenômeno da maré alta provocou essa catástrofe em São Sebastião”, analisou Felipe Augusto.

Segundo ele, para minimizar os efeitos das ocorrências, cerca de 500 homens e 60 máquinas estão nas ruas para fazer a limpeza e retirada dos entulhos.
Água subiu cerca de 1 metro (Foti: PMSS)

Por conta dos estragos, as escolas, Câmara Municipal, algumas secretarias como Planejamento e Obras, Administração, Fazenda, Recursos Humanos, Tecnologia de Informação, Comunicação, gabinete do vice-prefeito estão fechadas hoje. Equipes de funcionários da Prefeitura estão, desde as primeiras horas da manhã, trabalhando na limpeza dos setores atingidos e para o reestabelecimento das redes de telefonia, informática e elétrica.

Somente no Paço Municipal, conforme o prefeito, a água subiu quase um metro. “O gabinete foi completamente tomado pela enchente”. 

As pessoas que quiserem fazer doações em dinheiro para o auxílio às famílias que estão desalojadas e desabrigadas na cidade podem efetuar um depósito direcionado à conta do Fundo Social de Solidariedade: Banco Itaú – Agência 8534 conta: 15840-0 e o CNPJ: 28.086.952/0001-99. Quem puder doar água potável, material de limpeza, roupa de cama, entre outros, também pode procurar o Fundo Social.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário