Litoral Norte se prepara para vacinação contra febre amarela

A cidade de São Sebastião adiantou a campanha após OMS declarar todo Estado de São Paulo como área de risco
Nas demais cidades o período segue de 3 a 24 de fevereiro (Foto: Divulgação)

Os municípios do Litoral Norte se preparam para iniciar a vacinação contra a febre amarela. Após a Organização Mundial da Saúde (OMS) determinar que todos os municípios do Estado de São Paulo correm risco, nesta terça-feira (16), a cidade São Sebastião adiantou a campanha de imunização para o dia 29 de janeiro. Nas demais cidades o período da ação permanece de 3 a 24 de fevereiro.

De acordo com a OMS, nem todas as cidades do Estado estão sob ameaça do vírus, mas a medida teria sido tomada para facilitar o controle da doença na região, imunizando todos que viajarem pelo Estado.

A vacinação será ofertada em duas modalidades: dose fracionada ou padrão. A estratégia de vacinação fracionada está em consonância com as recomendações da OMS e busca reduzir o risco de expansão da doença em áreas populosas. No estado de São Paulo, a meta é vacinar um total de 6,3 milhões pessoas em 54 municípios.

Uma dose fracionada será dividida para cinco pessoas, como explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Caraguatatuba, Helienne Santos. “A dose fracionada é uma forma de imunizar mais pessoas. O que muda é o período de proteção. Enquanto a dose integral imuniza por toda a vida, a dose fracionada imuniza por oito anos, sendo necessário realizar um reforço após esse tempo”, afirmou.

A doença

A febre amarela é uma doença infecciosa febril causada por um vírus transmitido pela picada dos mosquitos contaminados com a doença. Na mata, pelo Haemagogus e Sabethes e, na cidade, a transmissão pode ocorrer com a picada do Aedes Aegypti. A doença é de alta gravidade e tem potencial de disseminação em áreas urbanas.

Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

Litoral Norte

Representantes do Litoral Norte e do Vale do Paraíba participaram, no último dia 12 de janeiro, de uma reunião de capacitação e preparação para estratégia de vacinação. O encontro foi promovido pela diretoria do Centro de Vigilância Epidemiológica da secretaria de Saúde do Estado.

Em Caraguatatuba, a secretaria da Saúde desenvolveu um plano operativo com o deslocamento de 200 profissionais para promoção da campanha. O objetivo é vacinar 95% da população. Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município (exceto do Tabatinga) contarão com equipes para a imunização. A aplicação da vacina será feita das 7h30 às 19h. Além disso, serão realizados três mutirões aos sábados nos dias 3, 17 e 24 de fevereiro.

Contraindicações

A vacina contra a febre amarela é contraindicada para gestantes e mulheres amamentando. Pacientes em tratamento de câncer, pessoas com imunossupressão e pessoas com reação alérgica grave à proteína do ovo também devem evitar a dose. Idosos deverão passar por avaliação prévia para saber se podem ou não tomar a vacina.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário