Procon deve apurar possível prática abusiva no preço do gás de cozinha

A determinação veio do prefeito de Ilhabela levando em conta que o produto chega a custar R$ 94,90 em alguns estabelecimentos da cidade 
A diferença chega a quase R$ 30 em comparação a outras cidades (Foto: Divulgação)

O prefeito de Ilhabela, Márcio Tenório, determinou que o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) verifique possível prática abusiva no preço do gás de cozinha. O pedido ocorreu após reclamações de consumidores após o governo federal autorizar reajuste no preço do produto.

Na última segunda-feira (18), a diretora do Procon em Ilhabela, Gabriela Pinho, explicou que o órgão está realizando pesquisa de preços nos estabelecimentos da Ilha e das demais cidades do Litoral Norte com o objetivo de constatar irregularidades praticadas contra os consumidores.

De acordo com a diretora, se for confirmada a prática irregular, o Procon acionará os órgãos competentes, o Conselho Administrativo de Defesa do Consumidor (Cade), ligado ao Ministério da Justiça, e o Ministério Público, para as medidas legais cabíveis.

Denúncias dão conta de que há uma diferença grande entre o preço mínimo e máximo praticado em Ilhabela e na demais cidades. O valor pago pelo consumidor do arquipélago é de R$85,00 (para retirar na loja) e chega a R$ 94,90 (para entrega). Nas demais cidades do Litoral o preço praticado é de R$ 60 (para retirar) e R$ 65 (para entrega). 



Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário