Ilhabela aprova projeto para contratação anual de guarda-vidas

Pelo menos dois acidentes com mortes foram registrados em locais sem monitoração nos últimos anos
Buraco do Cação é conhecido pela instabilidade do mar (Foto: Márcio Bortolusso)

Os vereadores de Ilhabela aprovaram em sessão extraordinária, na última sexta-feira (24), o projeto de lei que libera a contratação de 12 guarda-vidas por até dois anos na cidade. A proposta estava em pauta há pelo menos três anos a pedido das comunidades tradicionais que ficam no lado do oceano aberto, onde as praias estão sujeitas à variação de diversas condições do mar e o índice de acidentes é alto.

O PL 127/2017, de autoria da Prefeitura, institui o Programa Praia Segura e prevê que os profissionais serão contratados através de um processo seletivo, com prioridade para os moradores das comunidades. Os guarda-vidas selecionados serão capacitados e patrulhados pelo Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar).

O projeto recebeu uma emenda modificativa assinada por todos os vereadores garantindo que a contratação dos guarda-vidas para as praias de Castelhanos e do Bonete sejam moradores das comunidades pelo tempo mínimo de 10 anos. A redação anterior previa que a exigência fosse de três anos.

De acordo com o presidente da Associação Bonete Sempre, André Queiroz, foi uma longa negociação para que o poder público entendesse a importância de profissionais treinados em locais de condições adversas, como o Bonete, para garantir a segurança de turistas e moradores.

"A presença de guarda-vidas o ano todo é essencial para o salvamento em praia, mas também para garantir a proteção geral da comunidade. Se algo acontecer em uma trilha, no mar, ou mesmo de madrugada, o resgate se torna muito mais eficiente com profissionais em alerta e por perto. Inclusive já aconteceram muitos acidentes, tanto no Bonete quanto em Castelhanos, que poderiam ter sido evitados".

Afogamentos

No final de 2016 um turista de 56 anos morreu afogado na praia de Castelhanos. O homem estava acompanhado da filha e da esposa quando entrou em um local de correnteza, que não estava sinalizado e nem sendo monitorado. A vítima ainda foi socorrida por moradores que entraram no mar para fazer o resgate, mas não resistiu. Na mesma semana, um casal que passava a lua de mel em Ilhabela se afogou no mesmo local. Os dois também foram socorridos por moradores.

Buraco do Cação

Outro acidente que demandou auxílio de moradores locais aconteceu no ano de 2015, em uma gruta conhecida como Buraco do Cação, próxima ao Bonete. Na ocasião, uma mulher de 32 anos morreu afogada após um acidente com dois jet-skis. Os sobreviventes foram resgatados por um morador local, que era guarda-vidas temporário na época e foi o único a conseguir romper as ondas a nado e entrar na fenda para socorrer as vítimas, com apoio do Corpo de Bombeiros.

O acidente aconteceu quando um empresário do ABC entrou com a moto aquática no Buraco do Cação, com duas mulheres na garupa, e acabou jogado contra as pedras pela maré. No outro jet ski estava mais um homem que foi em busca de ajuda, mas o resgate só chegou horas depois.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário