Dança e Movimento completa 20 anos com 8 espetáculos em Ilhabela

O Espaço Pés no Chão traz mostras nacionais e internacionais entre os dias 12 de setembro e 1° de outubro
Cia francesa À fleur de peau encerra o evento em 1° de outubro (Foto: Divulgação)

O festival Dança e Movimento completa 20 anos em Ilhabela e se consagra uma das maiores mostras do Estado de São Paulo. Para celebrar a data, or organizadores preparam uma programação diversificada, com oito espetáculos nacionais e internacionais. As apresentações são todas gratuitas e acontecem entre os dias 12 de setembro e 1° de outubro, no teatro Pés no Chão.

Haverá também mostras nas escolas do arquipélago nos dias 15 e 22 de setembro, além de duas noites destinadas exclusivamente aos alunos de dança de instituições educacionais e culturais da região, nos dias 19 e 26.

A abertura do evento será nesta terça-feira (12), às 19h, com o espetáculo "Brinquedo...Brincadeiras...Brincadança”, dos artistas do Atelier Boissucanga, dirigido pela bailarina e professora Juliana Andrade. No dia 1° de outubro a compania francesa À fleur de peau encerra a mostra com duas apresentações: Lumière Blanche e Histoires Courtes en Plusieurs Cris.

O Espaço Cultural Pés no Chão fica na Rua Macapá 72, na Barra Velha. O evento realizado pelo Espaço Cultural Pés no Chão, tem apoio da Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundaci.

Programação

12/9 - às 19h - no espaço Pés no Chão
Quem convida crianças de todas as idades para participar do espetáculo “Brinquedo... Brincadeiras... Brincadança” são os artistas do Atelier Boissucanga, dirigido pela bailarina e professora Juliana Andrade.

15/9 - às 14h30 - na E. M. Prof. José Antônio Verzegnassi
A Palhaça Carmela vai com sua Kombi na Escola Municipal Prof. José Antonio Verzegnassi, na Água Branca, apresentar para os alunos, e para o público em geral, o espetáculo Retalhos Populares. Nômade e viajante, a palhaça rapidamente arma e desarma sua casa, que cabe dentro de uma mala e dentro dela cabe o mundo! Contando com a companhia da galinha de pano Margarida e de um músico que executa a trilha sonora, Carmela interage o tempo todo com o público, com quem divide sua intimidade e seus pequenos problemas.

16/9 - às 20h, no espaço Pés no Chão
A Sopro Cia. de Dança, dirigida por Roberto Amorim, apresenta “Se não é amor”.  Neste trabalho, o coreógrafo empresta sua experiência pessoal e compartilha com o elenco e com o público as relações estabelecidas por ele durante a gestação de seu primeiro filho até o nascimento. Retrata também a relação que temos com o novo e a renovação da vida.

17/9 - às 19h, no espaço Pés no Chão
O Núcleo Arcênico de Criações traz “Quero ser Preto”, um espetáculo de dança-teatro e artes integradas dirigido por Jorge Vermelho, que propõe uma reflexão sobre o preconceito em suas diferentes formas. Indicado para maiores de 14 anos, o trabalho foi contemplado pelo PROAC Circulação de Espetáculo de Dança – 2016.

19 e 26/9 - terças-feiras, às 19h no espaço Pés no Chão
As tradicionais “noites das escolas”, quando alunos e participantes de várias instituições educacionais e culturais de Ilhabela e região apresentam-se no palco do Pés no Chão, sempre para uma platéia lotada. Desta vez, a programação foi dividida em duas noites, dia 19 para crianças até 12 anos, e dia 26 para jovens e adultos.

22/9 - sexta-feira, às 14h30, E. M. José Benedito de Morais
O Circo Navegador leva o Cirquim do Serafim para a Escola Municipal José Benedito de Morais, no Reino. Dentro desse circo, dois palhaços cultuam a imagem do Seu Serafim, o finado dono do circo, e perpetuam a sua presença por meio da crença de que ele ainda pode voltar. A espera pelo Seu Serafim motiva os palhaços esfomeados, que vão trapaceando um ao outro em busca de passar o tempo e enganar a fome, enquanto a plateia se diverte com as trapalhadas clássicas e as soluções inusitadas para problemas inexistentes.

23/9 - às 20h no espaço Pés no Chão
Tiago Sancho apresenta “Melodia onde o tempo não existe”, uma reflexão sobre o corpo e a sua construção e, em seguida, Claudia de Souza Cia. de Dança traz “Roda de Pólvora”, obra que mergulha nas sensações e experiências dos rituais das religiões afro-brasileiras.

24/9 - às 19h, no espaço Pés no Chão
A Raça Cia. de Dança apresenta duas coreografias: “À flor da pele” e “Novos ventos”. “À flor da pele” partiu de uma investigação sobre o ser humano na sociedade. A relação dos indivíduos com o trabalho, dinheiro, trânsito, relacionamentos, política e sociedade está cada vez mais conturbada. Isto leva cada vez mais as pessoas a se afastarem umas das outras. Em “Novos ventos” a ambientação é emoldurada por um outono, com vento e chuva de folhas secas no palco, compondo uma atmosfera que nos transporta para outro espaço. O vento transfigura o corpo em poesia.

30/9 - às 20h, no espaço Pés no Chão
“Devolve 2 horas da minha vida”, o novo trabalho do Projeto Mov_oLA, dirigido pelo coreógrafo e videomaker Alex Soares. O grupo propõe uma releitura do clássico “Janela Indiscreta” (1954), de Alfred Hitchcock (1899-1980) transposta para os dias atuais e, a partir dessa ideia, questiona e convida o público a usar seu celular durante a apresentação, por meio de um aplicativo especialmente criado para o projeto, o Mov_oLApp.

1°/10 às 19h, no espaço Pés no Chão
A compagnie “À fleur de peau”, de Denise Namura e Michael Bugdahn. Rosita Boisseau, jornalista e crítica francesa especialista em dança, descreve com precisão e sensibilidade o trabalho desses dois artistas: “Michael Bugdahn e Denise Namura exploram com rigor e ternura suas emoções para nelas encontrar um gestual delicado sempre enraizado na realidade. Um pouco teatral, marcado pelo humor, seu estilo se distingue das produções atuais por uma sede quase insólita de humanidade”. Eles finalizarão os 20 anos de Dança e Movimento com dois trabalhos: Lumière Blanche e Histoires Courtes en Plusieurs Cris.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário