Defeso do camarão termina com festejos dos pescadores da região

Caraguá e Ubatuba realizam rituais para agradecer e pedir proteção e fartura no mar 
Cerimônia 'Barcos ao Mar' acontece há 20 anos em Caraguá (Foto: Divulgação)

A pesca do camarão foi liberada a partir da meia noite desta quinta-feira, (1°), data em que se encerra o período de defeso. E para comemorar a volta dos crustáceos ao mar, os pescadores de Caraguá e Ubatuba realizaram os tradicionais festejos para agradecimentos e pedidos de fartura e proteção no mar.

Em Caraguatatuba, pescadores da Praia do Camaroeiro, familiares e convidados participaram, no último domingo (28), da Cerimônia ‘Barcos ao Mar’, que acontece há mais de 20 anos na cidade. Com imagens de São Pedro e Nossa Senhora dos Navegantes, eles seguiram em procissão pela terra e pelo mar após receberem a benção do padre João Marcos da Silva, pároco da Igreja Matriz de Santo Antônio. Todo trajeto foi acompanhado pela Banda Municipal Carlos Gomes.
Mais de 100 barcos saíram para pescar em Ubatuba (Foto: Divulgação)

Na cidade de Ubatuba, mais de cem barcos de pescadores artesanais aproveitaram a data e já saíram ao mar simbolicamente, nesta quinta-feira. Segundo a prefeitura, apenas um pescador conseguiu 50 quilos de camarão sete barbas em quatro horas de trabalho neste primeiro dia.

Preço

O secretário de Pesca, Agricultura e Abastecimento de Ubatuba, Claudio dos Santos, o “Cacá”, avalliou a precificação do camarão em aproximadamente R$ 20 para este ano. 

"O preço do camarão vai variar de acordo com a oferta: quanto mais camarão, mais barato o quilo. Porém, essa oferta depende das condições climáticas, que influenciam diretamente a pesca. Atualmente, estimamos o preço de um quilo de camarão 7 barbas comercializado por uma média de R$ 15 a R$20", explicou Cacá. 

Defeso

De 1º de março a 31 de maio a pesca e captura do camarão fica proibida em todo o Brasil para que ocorra a reprodução e crescimento da espécie. Neste período fica restrita a pesca de arrasto motorizado dos camarões branco, rosa, santana, sete barbas, entre outros, viabilizando assim, a recuperação do estoque pesqueiro e evitando a extinção da espécie. Quem desrespeita a regra do defeso deve pagar multa e pode até ser preso.


Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário