Congada de São Benedito celebra tradição e fé há mais de 200 anos

Este ano a festa homenageia o santo com muita música, comida e devoção, entre os dias 18 e 21 de maio
A Congada acontece sempre em maio, pelas ruas da Vila (Foto: Divulgação)

A tradicional Congada de São Benedito está chegando em Ilhabela. A festa é uma das mais importantes e antigas manifestações culturais do arquipélago e reúne todos os anos centenas de devotos que homenageiam o santo com muita música, dança, arte e comida. Este ano, o encontro acontece dentro da 17ª Semana da Cultura Caiçara, entre os dias 18 e 21 de maio, na Vila.

História

Conhecida pelos bailes de rua e a tradicional encenação da guerra entre os reinos do Congo e Luanda, a Congada de São Benedito acontece em Ilhabela desde 1794, segundo documentos do arquivo do Estado de São Paulo. A apresentação é uma espécie de teatro que divide as ruas entre azul, representado pelos súditos do Rei do Congo, que é devoto de São Benedito, e o vermelho que veste o exército de Luanda, mouros pagãos. Os devotos vencem a disputa, mas o perdão é concedido a tropa inimiga por conta da misérisórdia de São Benedito, o que faz o embaixador se emocionar e se tornar mais um devoto do santo, assim como seu povo. E, como o amor não poderia ficar de fora, no fim da batalha o Rei descobre que o embaixador é seu filho, fruto de um amor roibido do passado. Mais uma vez a bondade de São Benedito sela o destino dos dois reinos, do pai e do filho.

Santo negro

São Benedito é o único santo negro da igreja católica e firmou suas raízes em Ilhabela, como representande da vasta cultura africana do arquipélago, onde existiu um dos maiores mercados de escravos da história do país. A população negra trazida da África era maior do que a de homens livres na época da colonização e movimentou a economia local durante muito tempo. Os descendentes dessa história se misturaram com os índios e europeus e formaram o povo caiçara, que não poderia deixar de se identificar com a história de São Benedito. 

Filho de escravos da Etiópia, o santo também foi cozinheiro e conhecido por levar comida aos porões das casas grandes para alimentar os escravos. Na Ilha, é muito comum encontrar a imagem dele dentro das cozinhas para garantir a fartura. E seu milagres ainda hoje são relatados por seus devotos, que garantem muitas histórias de cura e prosperidade. Segundo os historiadores, a tradição da Congada foi trazida pelo escravo Roldão, que desembarcou em Castelhanos por volta de 1785 trazido nos porões de um navio negreiro. 

Ucharia

Parte fundamental da Congada e aliada aos dotes culinários de São Benedito é a alimentação. A chamada Ucharia é um almoço coletivo, preparado pelas mulheres dos congueiros nos tradicionais fogões “tacuruba”, montados manualmente sobre pedras grandes, onde o fogo aquece os tachos e panelões.

Uma das primeiras líderes da culinária da Congada, a Dona Eva Esperança, era sobrinha neta do escravo Roldão. Hoje é sua família que ainda cuida da tradição da cozinha congueira.

Programação

Começando a programação da Semana da Cultura Caiçara, na quinta-feira (18), a partir das 17h, acontece a cerimônia de abertura do evento, seguida da apresentação da Orquestra Jovem de Ilhabela e a Orquestra Popular de Ilhabela, ambas na praça Coronel Julião. Já às 21h, a banda Mano Beethoven sobe ao palco para alegrar os presentes. Finalizando o primeiro dia de festas, a banda Tomcats faz o último show, às 22h. Haverá ainda quermesse durante os espetáculos.

Na sexta-feira (19), começa oficialmente a Congada de São Benedito, com o levantamento do Mastro e a distribuição de bolo e concertada, na praça Alfredo Oliani, em frente à Igreja Matriz, às 17h. Logo depois, às 19h, o contador de histórias e professor Adriano Leite ministrará a palestra “A História da Congada”. A noite termina com shows de Bárbara Rodrigues, às 20h, Marcelo Batuque e Formação de Quadrilha, às 21h e Max Pianura, acompanhado do violinista Robson Miguel, às 22h.

Já no sábado (20) as atividades começam mais cedo. Às 9h haverá a Meia Lua e o início da Procissão de São Benedito. Os congos passam a ganhar destaque e se apresentam em seu primeiro baile às 10h pelas ruas da Vila. A Ucharia de São Benedito começa 12h30, no salão da Igreja Matriz. Depois de bem alimentados, os congos exaltam a fé no santo novamente com mais um baile às 14h30. As apresentações musicais da banda Forrobodó, às 21h, e Lúcio Neves, às 22h, encerram a programação do dia.

Finalizando a Semana da Cultura Caiçara e Congada de São Benedito, acontece no domingo (21) às 6h a Alvorada Festiva. Às 8h30 haverá novamente a Meia Lua e Procissão de São Benedito. A Missa dos Congos começa às 10h e o Baile dos Congos às 10h30. A Ucharia terá início às 12h30 e o segundo baile às 14h30. Os rituais religiosos terminam com a Procissão e Missa de São Benedito, às 18h, pelas ruas do Centro Histórico. Pedrinho e convidados sobem ao palco às 21h e Geraldo Azevedo, às 22h, na praça Coronel Julião.

Todos os shows musicais são acompanhados por quermesses e, sempre às 19h30, será realizado o Tríduo e a Santa Missa na Igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda e Bonsucesso. Haverá ainda a “Exposição Memórias Caiçaras – linguajar, fotos e peças antigas”, na Secretaria de Cultura e no Centro Cultural, que exibirá roda de conversas com caiçaras tradicionais, histórias caiçaras, esquetes teatrais, danças tradicionais, Casa Caiçara, Casa de Farinha e Artesanato Caiçara.

O evento é promovido pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura e Fundaci, Paróquia Nossa Senhora D’Ajuda e Bonsucesso e Associação dos Congueiros de Ilhabela.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário