Médico alerta para proliferação das micoses com calor e umidade

O verão pede cuidados especiais para evitar infecções por fungos; Confira os cuidados necessários
Calor e umidade proliferam micoses de pele, unha e cabelo (Foto: Nova Imprensa)

A temporada de calor está apenas começando e é exatamente na região tropical que as micoses aparecem com frequência nas pessoas. Aqui, essas infecções causadas por fungos, que atingem a pele, as unhas e os cabelos, encontram as condições ideais de umidade e temperatura para o seu desenvolvimento. Para evitar a proliferação das micoses, o dr. Pedro Oliveira, diretor médico da ePharma, recomenda alguns cuidados especiais. 

“Evitar o uso de roupas molhadas por muito tempo da mesma forma que calçados fechados por longos períodos, reduzem a proliferação destes fungos”, destaca ele. Deve-se, também, evitar, com maior esforço, o compartilhamento de toalhas, roupas e outros utensílios pessoais de higiene.

A prevenção se potencializa pelo aumento da frequência de hábitos de higiene pessoal capaz de evitar a proliferação das micoses. “Após o banho, devemos nos secar muito bem, principalmente em regiões de dobras como axilas, virilhas e dedos dos pés”, esclarece o médico.

Nessa época do ano, uma boa parte da população aproveita os momentos de lazer e descanso para banhos de piscina e mar. Dr. Pedro ainda recomenda evitar caminhar descalço em locais úmidos, como vestiários, sauna e lava-pés de piscinas, que podem contribuir para o aparecimento de micoses.

Sintomas

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) destaca que as micoses superficiais como pitiríase versicolor, tineas e candidíase se manifestam provocando manchas na pele que podem estar localizadas ou espalhadas pelo corpo, de forma isolada ou agrupada. Algumas formas de micose são acompanhadas por prurido e pela descamação da derme comprometida. Outras micoses podem apresentar a formação de vesículas e bolhas.

Micoses do tipo candidíase se manifestam de diversas formas. Elas podem aparecer como placas esbranquiçadas na mucosa oral, comum em recém-nascidos (“sapinho”); lesões fissuradas no canto da boca (queilite angular), mais comum no idoso, e placas vermelhas e fissuras localizadas nas dobras naturais (inframamária, axilar e inguinal). Esse tipo de micose também aparece na região genital feminina (vaginite) ou masculina (balanite), causando coceira, manchas vermelhas e secreção vaginal esbranquiçada.

Os cuidados podem evitar a contaminação, especialmente no verão, mas o médico alerta para a importância de procurar um especialista logo nos primeiros sinais da infecção. “Algumas micoses são de tratamento longo e apenas com orientação médica é possível alcançar os resultados almejados”, afirma.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário