Exame confirma caso importado de febre amarela em Ubatuba

Doença foi contraída durante viagem a Minas Gerais; paciente está bem 


A Vigilância Epidemiológica (Viep) da Secretaria de Saúde de Ubatuba recebeu nesta terça-feira (31/1) a confirmação de um caso importado de febre amarela silvestre. 

Trata-se de um jovem de 16 anos, morador do bairro da Figueira, que viajou a Ladainha (MG), no dia 2 de janeiro e a partir do dia 7 começou a apresentar sintomas como febre, cefaleia e mal-estar geral. Ele retornou a Ubatuba no dia 9, foi internado dias depois, mas teve alta no dia 20 e passa bem.

O município tem ainda um caso suspeito, também importado, um homem de 40 anos, morador do Taquaral, que esteve em Setubinha (MG), e não chegou a ficar hospitalizado. Ele passou por um médico particular apresentando febre, dor no corpo, sem icterícia. Foi feita a coleta para o exame e, em seguida, liberado. O paciente também está bem e aguarda o resultado do exame. 

Vacinação preventiva
Como os dois pacientes – confirmado e suspeito – circularam pelas regiões Centro, Taquaral, Figueira e Saco da Ribeira durante o período de transmissão da doença, a orientação da Vigilância Epidemiológica estadual é que todos os moradores desses bairros sejam imunizados contra a febre amarela.

O município recebeu um total de 10 mil doses da vacina, distribuídas pelas unidades de saúde referentes aos bairros indicados, além das escolas municipais Professor José de Souza Simeão, no Taquaral, e Maestro Pedro Alves de Souza, na Figueira.

Porém, de acordo com a prefeitura, devido à alta procura, o estoque das unidades Figueira, Sumaré e Taquaral (escola) para a vacinação de moradores já se esgotou e o atendimento nessas unidades voltará ao normal em meados da próxima semana, com a chegada de nova remessa de 7 mil doses.

A partir desta quarta-feira somente os postos de Umuarama, Saco da Ribeira e Taquaral atenderão moradores desses bairros no horário até as 19h.
No último dia 27, segundo a Vigilância de Ubatuba foi feita a vacinação na Marina Voga, no saco da Ribeira, bem como no posto de saúde do bairro e agora a aplicação da vacina continua apenas na unidade.

Viajantes
“A vacinação para quem vai viajar a áreas endêmicas de febre amarela continua normalmente em dias e horários já divulgados anteriormente para cada posto de saúde”, explica Patrícia Machado Sanches, do Viep. “Temos um estoque reservado para atender a essa demanda e a vacinação deve ser feita com 10 dias de antecedência da viagem”, completa.
O secretário municipal de Saúde, Alessandro Cacciatore, explica que “Ubatuba vem se empenhando em manter as rotinas preventivas, ou seja, vigilância de casos suspeitos, vacinação pela equipe de endemias e eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti”.

Ele tranquiliza a população e informa que há muitos anos não há surto da doença em meio urbano. “A transmissão acontece caso o mosquito pique alguém que está contaminado e em fase de transmissão da doença e, em seguida, pique alguém que nunca teve a doença ou não tenha sido vacinado”, acrescenta.

Outra ação feita pela Vigilância de Ubatuba foi o contato com todos os órgãos ambientais para que estejam atentos a casos de morte de primatas na mata. Os mosquitos transmissores da febre amarela silvestre são o Haemagogus e Sabethes.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário