Comportamento animal é monitorado em obras da Nova Tamoios Contornos

Fauna silvestre recebe cuidados que incluem identificação e acompanhamento

Suçuarana filmada durante monitoramento (Foto: Reprodução)

Elegante e imponente, a suçuarana (onça parda) faz seu passeio noturno e, por alguns segundos, desfila diante da câmera instalada em área de obra da Nova Tamoios Contornos, empreendimento gerenciado pela Dersa – Desenvolvimento Rodoviário S/A no Litoral Norte. 

Segundo maior felino das Américas (fica atrás apenas da onça pintada), o animal de grande porte tem seus passos atentamente acompanhados pelos biólogos do Subprograma de Monitoramento de Fauna da Companhia. 

A ação, que visa identificar comportamentos de várias espécies, é executada durante todo o período de instalação do empreendimento. O objetivo é avaliar as condições da fauna silvestre e fazer uma estimativa segura sobre os impactos das obras e as alternativas para minimizá-los, preservando a vida na natureza.

O trabalho inclui o monitoramento específico de vários grupos de fauna, como mamíferos de pequeno, médio e grande porte, morcegos, aves, répteis, anfíbios e peixes, entre outros. A adoção do subprograma justificou-se diante da grande diversidade da fauna na região. 

De acordo com a Dersa, antes mesmo do início das obras equipes já iniciaram a investigação sobre o comportamento animal. No decorrer das várias etapas das obras, os biólogos verificam a ocorrência de possíveis alterações populacionais, comportamentais e reprodutivas nos diferentes grupos de fauna. 

As espécies presentes nas áreas de influência das obras são identificadas, o que permite ampliar o conhecimento sobre suas comunidades. São selecionados locais específicos próximos do traçado do empreendimento. As campanhas são realizadas em períodos quadrimestrais. 

Para capturar ou registar os animais, são utilizadas armadilhas seguras e recomendadas para esse tipo de ação, redes, câmeras com sensores, parcelas de areia para identificação de pegadas, entre outros equipamentos que propiciam a identificação e, quando possível, a marcação dos espécimes.

Diagnóstico
Conforme a Dersa, o monitoramento de fauna é importante também para estabelecer parâmetros e avaliar espécies sensíveis que possam indicar o grau de alterações ambientais ocorridas nas diferentes áreas durante as fases de construção e operação do empreendimento. 

Além disso, identifica ações de caça silvestre nos pontos monitorados, gera base de dados para comparações de longo prazo e permite fundamentar propostas de ações e medidas visando controlar e manter em boas condições o habitat natural das espécies localizadas.

As câmeras com sensores, chamadas de câmeras trap, são amplamente utilizadas pelas equipes que atuam nas atividades de monitoramento e levantamento de fauna. Modernos e de ótima resolução, os equipamentos não são invasivos e colaboram nos registros da fauna estudada.

No monitoramento realizado em novembro passado, as filmagens identificaram, entre outros animais, um veado-catingueiro, cervídeo nativo da Mata Atlântica; uma anta, que é o maior mamífero terrestre do Brasil e necessita de áreas amplas e preservadas; e a suçuarana, grande carnívoro caçador de animais como antas e veados. 

“Os registros comprovam a boa qualidade ambiental na região, mostrando animais que compõem a delicada estrutura da cadeia alimentar da natureza. Também demonstram que até o momento a implantação das obras não afetou a fauna da região estudada”, informa a responsável pelo empreendimento. 

Veja vídeo de monitoramento que mostra um veado, uma anta e uma onça parda:

         

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário