Manifestação estudantil é reprimida pela polícia e gera protestos em Caraguá

Alunos e professores divulgaram carta de repúdio contra ação da PM junto a manifestação estudantil ocorrida na cidade em 24 de outubro

Professores, funcionários e estudantes do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) de Caraguatatuba divulgaram uma carta de repúdio contra a ação da Polícia Militar na manifestação estudantil contra a reforma do ensino no Brasil.

A manifestação dos estudantes aconteceu no dia 24 de outubro e tinha como objetivo protestar contra propostas de lei discutidas pelo Congresso Nacional, tais como a MP 746 que altera o Ensino Médio, o projeto “Escola sem partido” e a PEC 241, mas o movimento acabou em violência. 

Segundo o IFSP, um ex-estudante da entidade que se formou professor no curso de Licenciatura em Matemática foi ferido por uma pancada de cassetete na cabeça e sete manifestantes foram detidos sem motivo especificado, inclusive um jovem que atualmente estuda no curso de Tecnologia em Processos Gerenciais do IFSP. Os estudantes relataram, ainda, que foram agredidos pela polícia, mesmo estando no interior do pátio de um estabelecimento comercial, após a manifestação já ter sido dispersada.

"Tratar movimentos sociais como uma questão policial é um atraso que remonta aos tempos obscuros e autoritários da ditadura militar. Queremos que o Brasil avance e aprofunde a sua democracia e não o contrário. Por isso, repudiamos com veemência qualquer violência policial contra manifestações legítimas de estudantes e de outros movimentos sociais", divulgou o IFSP.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário