S. Sebastião tem sessões de cinema de Nelson Pereira dos Santos

Um dos maiores cineastas brasileiros é tema do projeto Conexão São Sebastião em julho
Cena do filme clássico "Amuleto de Ogum" (Foto: Divulgação)

A cidade de São Sebastião terá sessões de cinema gratuitos em homenagem a um dos mais importantes e inovadores cineastas brasileiros, Nelson Pereira dos Santos. Serão quatro filmes clássicos, exibidos em diversos locais ao longo do mês de julho.

O projeto Conexão São Sebastião (CSS) é desenvolvido pela Associação Cultural Vento Forte, em parceria com a prefeitura da cidade. A programação é organizada por um tema mensal, com filmes relevantes da cinematografia e que, ao mesmo tempo, dialoguem com a realidade do município. As apresentações acontecem semanalmente no Observatório Ambiental  (Centro), Cras (Boiçucanga),  E.M. de Boracéia e Reserva Indígena Rio Silveiras.

Nelson Pereira dos Santos

Um dos principais diretores do cinema brasileiro, Nelson Pereira dos Santos trabalhou desde a década de 50 com diversos estilos cinematográficos, sem perder o profundo interesse na condição humana e organização social.

Seus primeiros longas, incluindo “Rio, 40 Graus” (filme precursor do Cinema Novo), são claramente influenciados pelo neo realismo italiano. Misturando imagens documentais com ficção, o diretor é um cronista percorrendo a cidade. Em 1963 lança o que seria a sua maior obra prima, “Vidas Secas” baseado no livro homônimo de Graciliano Ramos. O filme foi exibido em dezenas de festivais, concorrendo a Palma de Ouro de Cannes e indicado pelo British Film Institute como uma das 360 obras fundamentais para uma cinemateca.

Na década de 70, o diretor mergulha na cultura popular brasileira.  Realiza o longa “O Amuleto de Ogum”, um olhar sobre as religiões de matriz africana e, filma ainda, “Azillo Muito Louco” baseado na obra de Machado de Assis e “Tenda dos Milagres” de Jorge Amado. Baseado nas aventuras de Hans Staden, o diretor realiza ainda “Como era gostoso o meu francês”, gravado em Paraty e falado em tupinambá. Nos anos 80, ele percorre o universo sertanejo, realizando o longa “Na estrada da vida” com a dupla sertaneja Milionário e José Rico e revisita a obra de Graciliano Ramos, através do longa “Memórias do Cárcere”.

O diretor continua produzindo, seu ultimo filme saiu em 2012, um documentário sobre Tom Jobim. Fundador do curso de cinema da Universidade Federal Fluminense, foi o primeiro cineasta a se tornar membro da Academia Brasileira de Letras, na cadeira de número  cujo patrono é Castro Alves.


Programação

| Centro – Terças às 19h30
Observatório Ambiental - Rua da Praia s/n
Dia 12: VIDAS SECAS
Dia 19: AMULETO DE OGUM
Dia 26: A TERCEIRA MARGEM DO RIO

| Boiçucanga – Quartas, às 19h30
Cras - Rua Sargento Filisbino Teodoro da Silva, 200
Dia 13: VIDAS SECAS
Dia 20: AMULETO DE OGUM
Dia 27: A TERCEIRA MARGEM DO RIO

| Barra do Sahy – Sextas, às 19h30
Lá no Poio - Rua da Praia s/n
Dia 08: RIO, 40 GRAUS
Dia 15: VIDAS SECAS
Dia 22: AMULETO DE OGUM
Dia 29: A TERCEIRA MARGEM DO RIO

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário