Ubatuba lança atendimento social para casos de violação de direitos

Equipe do novo CREAS faz acolhimento e orientação junto a mulheres vítimas de violência, idosos, pessoas com deficiência, população LGBT, entre outros grupos
Novo CREAS fica na região central de Ubatuba (Foto: Divulgação)

A cidade de Ubatuba inaugura oficialmente o primeiro Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). A unidade fica na rua Maranhão, 279, no Centro, e conta com assistente social e psicóloga concursadas que fazem o acolhimento, escuta, orientação e encaminhamento a pessoas em situação de risco pessoal e social nos casos de violação de direitos e/ou rompimento de vínculos familiares e comunitários. O cento também oferece apoio jurídico.

Entre os casos atendidos estão o de mulheres vítima de violência, pessoas em situação de rua, idosos e pessoas com deficiência (em especial, nos casos de abandono), pessoas discriminadas em decorrência da orientação sexual, raça ou etnia e outras formas de violação de direitos e crianças e adolescentes com direitos violados.

A psicóloga do programa, Iara Sigaud, conta que já existem grupos em atendimento no local. “Já contamos com um grupo de mulheres, um de pessoas em situação de rua e outro de idosos. Em breve também teremos um grupo de acompanhamento de crianças e adolescentes”, explica Iara. 

O CREAS pode ser acessado por demanda espontânea, isto é, busca direta feita pela própria pessoa que se encontra com seus direitos violadas, por denúncia anônima feita pelo Disque 100 (Direitos Humanos) ou Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher), presencialmente, ou ainda, por encaminhamento da rede de serviços de proteção social.

"O objetivo do projeto é fortalecer uma rede de proteção social articulada com o sistema de justiça  (Promotoria de Justiça,  Poder Judiciário, OAB, Defensoria Pública e Delegacia da Mulher), com a rede de saúde, segurança, assistência social, habitação, educação  e demais políticas setoriais, tais como o CRAS, CAPS, CREAD, Defesa Civil, Fundac, Conselho Tutelar, entre outros”, explica Marcio Cândido, coordenador do CREAS.

Violência contra as mulheres

Entre os vários casos que chegam ao CREAS, muitos são de mulheres que relatam casos de violência doméstica praticada contra elas e contra seus filhos. Durante a reunião ordinária do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, realizada no dia 1º de junho, a psicóloga Iara e Creuza dos Santos, Secretária Municipal de Saúde, enfatizaram a importância de que cada profissional que atua na rede pública faça o devido acolhimento dos casos, o que implica a escuta qualificada e a orientação.

“As violações de direitos podem ser tanto no âmbito familiar quanto da rede”, explica Iara. No CREAS, além do acolhimento, as mulheres contam com o apoio por meio da participação em grupos de acompanhamento.

Serviço

O CREAS fica na rua Maranhão, 279, Centro, e funciona das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas. Tel. (12) 3833-3316.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário