Empresa acusada de manipular carnes em Ilhabela é denunciada por falsificação

Desta vez o registro foi feito por outra empresa que acusa a fornecedora de uso indevido da marca
A empresa acusada de manipular carnes de forma irregular em Ilhabela sofreu mais uma denúncia judicial. Desta vez, a companhia é acusada de falsificação de documentos, por utilizar o nome da empresa Frigo Central na adulteração de etiquetas.

No dia 13 de maio, a empresa que fornece a merenda escolar de Ilhabela foi autuada em flagrante pela Polícia Militar da cidade por adulteração de alimentos. Após denúncias, os policiais iniciaram uma busca no depósito de alimentos e encontraram um funcionário etiquetando pacotes de acem como se fossem de coxão mole.

Após a veiculação da matéria pelo jornal Nova Imprensa, a empresa Frigo Central verificou que as etiquetas usadas na adulteração das carnes estavam com a marca da empresa sem autorização e fez um Boletim de Ocorrência, no 2° DP de Guarulhos, no último dia 23 de maio, para registrar o caso. A companhia esclarece que não participa de licitações na cidade de Ilhabela, e nem fornece carnes para empresas da região que participem de licitações promovidas por prefeituras ou escolas, desconhecendo qualquer rotulagem feita na cidade.

Ainda de acordo com a Frigo Central, o último fornecimento de carnes para a região foi realizado em 2014. "Produtos comercializados no local com a marca Frigo Central não possuem procedência legal", afirmou a empresa.

Quando as carnes foram apreendidas, o proprietário da empresa acusada foi autuado com base na Lei de Defesa do Consumidor e afirmou que, apesar de fornecer alimentos para as escolas municipais de Ilhabela, aqueles lotes não seriam destinados às merendas e que a troca das etiquetas teria sido um engano do funcionário.

O contrato da empresa alimentícia com a prefeitura é de um ano, no valor de R$ 552 mil e inclui, também, fornecimento de comida para o hospital municipal Mário Covas.

De acordo com a Prefeitura de Ilhabela, os alimentos não passam pelo depósito da empresa onde houve a apreensão. "Todo alimento fornecido à rede segue rigoroso critério, acompanhado por nutricionista desde a chegada até a distribuição. O setor de Alimentação Escolar da Secretaria Municipal de Educação conta inclusive com uma câmara fria para armazenamento e um caminhão frigorífico utilizado na distribuição nas escolas", informou a assessoria de imprensa da prefeitura.



Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário