Professor de 37 anos morre com suspeita de H1N1 em Caraguá

Em Ubatuba também houve a morte de um homem que está sendo investigada
Julio Isao estava completando 37 anos no dia da morte (Foto: Divulgação)

Um professor de ensino infantil morreu na manhã desta quinta-feira (7), com suspeita da gripe H1N1, em Caraguatatuba. Julio Isao chegou ao hospital na noite de quarta (6) com insuficiência respiratória aguda e sintomas do vírus, como febre e dores no corpo. O paciente veio a óbito por volta das 5h30, no dia em que completava 37 anos. 

De acordo com a equipe da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), as dificuldades respiratórias não conseguiram ser controladas e ele não resistiu. A prefeitura não confirmou a presença do vírus e o caso segue para investigação da equipe de Vigilância Epidemiológica de Caraguatatuba.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que Caraguá registrou 11 notificações da chamada gripe suína em 2016. Deste total, um caso foi confirmado, três são negativos, e sete estão aguardando exames.

O primeiro caso da gripe H1N1 do Litoral Norte foi confirmado no final de março em Caraguá, após exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz. O homem, de 52 anos, chegou a ficar internado para tratamento na UTI da Santa Casa e já está fora de risco. Os outros sete casos, além da morte de quinta-feira, incluem uma criança de sete anos e uma idosa de 75.

Ubatuba


Um homem de 56 anos também faleceu esta semana com sintomas da gripe suína, em Ubatuba. O caso ocorreu na noite da última quarta-feira (6), na Santa Casa. Ele estava internado desde o dia 2 de abril e aguardava resultado do exame por parte do Instituto Adolfo Lutz para confirmação da doença. Outros seis casos estão em investigação na cidade, mas nada está confirmado, segundo a prefeitura.


H1N1

O H1N1 é um vírus que causa doença respiratória aguda e que teve origem nos porcos e se disseminou para os seres humanos. De acordo com o Ministério da Saúde, há pelo menos 190 registros e 30 mortes relacionadas à doença este ano no Brasil. Em 2015 foram 141 casos e 36 óbitos no ano todo. O estado de São Paulo possui o maior número de casos, com 157 ocorrências e 23 mortes.


Transmissão


A transmissão do vírus H1N1 é direta de pessoa a pessoa e o mais comum é por meio de gotículas expelidas pelo indivíduo infectado ao falar, espirrar e tossir. Também há evidências de transmissão pelo modo indireto, por meio do contato com as secreções de partículas virais diretamente nas mucosas oral, nasal e ocular. Um indivíduo pode contraí-la várias vezes ao longo da vida. Em geral, a evolução é autolimitada, porém, a maior preocupação é com as complicações.

Vacina

A vacina é capaz de promover imunidade efetiva e segura durante o período de circulação sazonal do vírus, que este ano começou mais cedo.  O abastecimento da rede com as vacinas da gripe está dentro do previsto pelo calendário estadual no Litoral Norte, e deverá ter início no próximo dia 30 de abril.  A vacina é indicada para crianças de seis meses a menores de 5 anos, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde (público e privado), indígenas, pessoas com doenças crônicas, grupos com 60 anos ou mais e população prisional.

Prevenção

É importante manter a higienização frequente das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, além de cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir. Evitar tocar as mucosas dos olhos, nariz e boca também ajuda na prevenção, bem como não compartilhar objetos de uso pessoal (talheres, pratos, copos ou garrafas). Também é importante manter os ambientes ventilados, evitar contato próximo a pessoas que apresentem sintomas e aglomerações e ambientes fechados. 

A questão da alimentação também é importante para a imunidade. Hábitos saudáveis podem aumentar a proteção do organismo e afastar o vírus. É o caso de uma alimentação balanceada e hidratação. 

As gestantes devem procurar o serviço de saúde, caso apresente os sintomas da síndrome e, após o nascimento do bebê, se a mãe estiver doente, deve usar máscara e lavar as mãos antes de amamentar e manipular suas secreções.


Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário