Litoral Norte confirma primeiro caso da gripe H1N1

Homem de 52 anos chegou a ser internado na UTI, em Caraguá, mas está fora de perigo


O primeiro caso da gripe H1N1, também conhecida como gripe suína, foi confirmada na cidade de Caraguatatuba na última quarta-feira (30), após exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz. O homem, de 52 anos, chegou a ficar internado para tratamento na UTI da Santa Casa durante um mês, mas, agora, o paciente está fora de risco. 

O município de Caraguá investiga, ainda, outros três casos. Em Ubatuba também há suspeitas da doença. Cinco pacientes estão sendo acompanhados com sintomas da gripe, mas a prefeitura afirma que não há nada confirmado.

O Litoral Norte tem realizado diversas campanhas de prevenção. O bispo da Diocese de Caraguá, Dom José Carlos Chacorowski, assinou, na tarde desta sexta-feira (1°), uma circular com novas orientações para as missas. Por se tratar de uma doença de alto contágio pela saliva e pelas mãos, o religioso divulgou medidas, como evitar saudação de paz com contato físico, não rezar de mãos dadas, não usar a pia de água benta na entrada e manter a igueja ventilada.

H1N1

O H1N1 é um vírus que causa doença respiratória aguda e que teve origem nos porcos e se disseminou para os seres humanos. De acordo com o Ministério da Saúde, há 188 registros e 30 mortes relacionadas à doença este ano no Brasil. Em 2015 foram 141 casos e 36 óbitos no ano todo. O estado de São Paulo possui o maior número de casos, com 157 ocorrências e 23 mortes.

Os sintomas da gripe suína são similares aos da gripe comum, porém mais intensos, como febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga. Algumas pessoas relatam diarreia e vômitos e as complicações podem gerar pneumonia. A prevenção é feita por vacina anual e por hábitos, como lavar sempre bem as mãos. O tratamento da doença é feito com a medicação Tamiflu, antitérmicos, hidratação, alimentação leve e repouso.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário