Litoral Norte deve criar Casa Abrigo para mulheres em risco

O local deve ter localização sigilosa e abrigar vítimas de violência por até quatro meses
Sociedade participa da discussão da Frepap-LN (Foto: Divulgação)

Vereadores e representantes de associações e conselhos das quatro cidades do Litoral Norte se reuniram para discutir a criação da Casa Abrigo, para mulheres que sofrem de agressão e correm risco de morte. O encontro da Frente Parlamentar do Litoral Norte (Frepap- LN) aconteceu na Câmara Municipal Ilhabela na última quarta-feira (23).
Dessa vez, o objetivo do encontro foi dar conhecimento sobre a resposta dos prefeitos do Litoral Norte aos requerimentos enviados pelas quatro Câmaras, que questionava se existia o interesse das administrações em assinar o Protocolo de Intenções para a constituição de um Consórcio Intermunicipal, com o objetivo de criar a Casa Abrigo. As respostas dos prefeitos de São Sebastião, Caraguatatuba e Ilhabela foram positivas. A resposta da prefeitura de Ubatuba ainda está sendo aguardada.
A Casa Abrigo deve ter localização sigilosa e por ser uma medida que acarreta o afastamento da mulher e de seus filhos, que também são abrigados, do convívio familiar e mantê-los no interior de uma casa por até quatro meses é o último recurso adotado para preservar a integridade das vítimas.  
Juntos, vereadores e representantes dos Conselhos e Associações, vão se reunir nos próximos meses com os prefeitos do Litoral Norte, para apresentar o modelo do documento que formaliza o Protocolo de Intenções para constituição do Consórcio Intermunicipal, além das planilhas com os custos da Casa Abrigo, que serão compartilhados entre os quatro municípios.
Além de acolher as vítimas de violência, na Casa Abrigo há também trabalhos em grupo para fortalecer a mulher emocionalmente e recuperar sua auto-estima de forma que consiga se proteger das investidas do companheiro.
Todas as representantes dos Conselhos e Associações afirmaram que a existência da Casa Abrigo do Litoral Norte fará com que um número maior de mulheres tenha coragem de denunciar a violência que sofrem em casa.
Participaram desse encontro os representantes da Prefeitura de Ilhabela e da Secretaria de Desenvolvimento Social, de Ilhabela; Conselho Feminino e do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), de Caraguatatuba;  AAMS – Associação de Amparo à Mulher Sebastianense, Coordenadoria da Mulher e CREAS  (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), de São Sebastião.  
Também estiveram presentes os vereadores de Ilhabela, Dra. Rita Janete e Sampaio; presidente da Câmara de Ubatuba, Claudinei Xavier e o presidente da Frepap- LN, vereador Marcos Tenório.

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário