Vereador cobra ações contra tráfego ilegal de veículos em Castelhanos

Decreto de lei restringe circulação de veículos no local desde 2015
(Foto: Divulgação)

O acesso de veículos à praia de Castelhanos, no arquipélago de Ilhabela, deve seguir algumas restrições, já que a praia abriga uma comunidade tradicional caiçara e está dentro de uma área de proteção ambiental. A regulamentação sobre o tráfego de veículos no local funciona segundo decreto de lei, que vigora desde 2015. Mas a circulação ilegal de veículos na região foi tema de um requerimento do vereador Luiz Paladino (PCdoB), na última semana.

De acordo com a Câmara Municipal de Ilhabela, o parlamentar vem alertando para o problema desde 2014. Para ele, é necessário criar ações efetivas para evitar que o trânsito na região seja causador de um desequilíbrio ecológico, histórico e cultural.

De acordo com a regulamentação atual, os veículos não podem circular na área que abrange os trechos do Rio Quilombo, Cachoeira do Cemitério e Cachoeira Ponta Negra. Há exceção para veículos de moradores cadastrados na Secretaria do Meio Ambiente, e para ambulâncias, policiamento, corpo de bombeiros, defesa civil e veículos militares.

O vereador pontua que com esse direito assegurado pela lei, cabe agora às partes interessadas, poderes Executivo e Legislativo, comunidade, trade de turismo, Câmara Técnica do Parque Estadual, entre outros, se reunirem para garantir que o decreto seja respeitado.

“A direção do Parque Estadual de Ilhabela já instituiu regra limitando o acesso de carros à praia, mas outras medidas são necessárias, não apenas para a preservação do meio ambiente, mas também para a sobrevivência da comunidade tradicional de Castelhanos”, justificou em seu requerimento.

A praia de Castelhanos em Ilhabela é uma das mais procuradas pelos turistas. Com aproximadamente 1,5 mil metros de extensão e exuberante flora, o destino tem atraído cada vez mais visitantes nos últimos anos, mesmo com acesso dificultado. São 22 Km numa estrada que corta a ilha no sentido oeste a leste. 

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário