Após três dias, navio da Petrobras é retirado do canal de São Sebastião

A carga de óleo teve que ser retirada por outra embarcação para esvaziar e rebocar o navio
Transbordo foi realizado nesta quinta-feira (Foto: Semam/PMSS)

O navio petroleiro que estava encalhado no canal de São Sebastião desde a tarde da última segunda-feira (15) conseguiu ser retirado nesta quinta (18), por volta das 15h. Desde o início da semana houve algumas tentativas de rebocar a embarcação, mas a quantidade de óleo nos porões deixou o navio muito pesado e foi necessário retirar a carga para fazer o desencalhe. 

Segundo o comandante da Capitania dos Portos, Luiz Antônio Anídio Moreira, a operação para transferência do petróleo começou às 5h de hoje, quando outro navio atracou a contra bordo e retirou parte do óleo com uma bomba. Mais leve, o petroleiro foi rebocado até a parte norte de São Sebastião, onde deve receber inspeções técnicas para poder transbordar o restante da carga no Terminal Almirante Barroso (Tebar). 

O objetivo das análises subaquáticas é garantir que não haja avarias no casco pelo acidente, evitando assim, o risco de danos ambientais por vazamento.

A travessia da balsa ficou suspensa até as 9h desta quinta-feira, para chegada do navio de apoio. Ao todo seis embarcações de grande porte participaram da operação. 

O descarregamento do petróleo deveria ter sido feito na segunda-feira, mas o navio Recife Knutsen, contratado pela Petrobras Transportes (Transpetro), encalhou em um banco de areia depois de uma manobra feita durante uma tempestade -  havia chuva e vento de até até 60 km/h no momento do incidente, mas não houve feridos. 

A embarcação encalhou bem na rota de trajeto da balsa e os marinheiros da Dersa estavam fazendo um desvio para realizar a travessia desde segunda.

Ainda de acordo com o comandante Anídio, as causas do acidente não podem ser confirmadas e a Delegacia da Capitania dos Portos abriu um inquérito para esclarecer os fatos. O resultado da investigação deve sair em 90 dias. "Com certeza houve uma falha, mas vamos aguardar os resultados para afirmar o que realmente aconteceu", afirmou ele.
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário