Maya Gabeira celebra retorno do Circuito de Surf Feminino Profissional

Tops do surfe brasileiro falam sobre evento, que acontece em Ubatuba nos dias 14 e 15 de novembro

Maya comemora campeonato feminino em Ubatuba (Foto: Divulgação)

A surfista de ondas gigantes, Maya Gabeira, divulgou sua satisfação sobre o retorno do Circuito Brasileiro de Surf Profissional Feminino, que acontece na cidade de Ubatuba nos próximos dias 14 e 15 de novembro. A disputa será na praia de Itamambuca, palco do primeiro campeonato exclusivo para meninas da história do surf nacional, em 1998.

Direto de Portugal, a big rider celebrou o campeonato para mulheres. "Achei ótima a notícia. A gente precisa mesmo desse tipo de iniciativa para incentivar as meninas e termos mais representantes no mundial, como aconteceu com os meninos. Espero que dê muito certo e que surjam vários talentos para representar o Brasil também no mundial feminino”, comentou ela.

O evento é idealizado por Wiggolly Dantas, ubatubense top do Campeonato Mundial, e apresentado pela Skol, com apoio da Prefeitura de Ubatuba e da Comtur. A equipe do Skol Ultra Surf também falou com outras surfistas brasileiras da atualidade, como Silvana Lima, única brasileira do seleto grupo de surfistas que disputam as baterias do Mundial 2015. Ela também elogiou a iniciativa e destacou sua importância na promoção das categorias de base. 

“Com eventos como este, mostraremos que temos surfistas meninas tão talentosas quanto os meninos. Torço para que mais campeonatos femininos aconteçam. Assim, formaremos uma boa base de novos talentos para o futuro”, disse a surfista. 

Ex-top da elite mundial, Jacqueline Silva sentiu na pele a falta de apoio ao surf feminino e chegou a pedir ajuda aos fãs para não ficar de fora das baterias do circuito do ano passado. “Esse retorno é super importante e pode marcar o início de uma nova fase do surf feminino no Brasil. E não só para as meninas, mas para o esporte de uma maneira geral. Somente com a volta das competições é que veremos surgir novas promessas e teremos outras atletas no circuito mundial”, opinou Jacque.

Bicampeã brasileira de surf profissional e irmã de Guigui Dantas, Suelen Naraisa também lamentou a falta de apoio ao surf feminino nos últimos anos, tanto por patrocinadores quanto pelas associações. Segundo ela, as meninas precisam de ajuda e nossos representantes da WSL podem fazer a diferença.“Acho que era o que precisávamos: um atleta que se comovesse com nossa situação atual. Precisamos muito da ajuda de todos para mudar essa situação e esse evento chega para mostrar aos organizadores que nossa modalidade só precisa de mais atenção. Obrigado meu irmão Wiggolly por acreditar e apoiar nossa categoria. Falo por mim e por todas as surfistas do Brasil. Vai ser um show de surf, tenho certeza”, agradeceu Naraisa.

Veja mais sobre o campeonato aqui: http://www.novaimprensa.com/2015/10/circuito-brasileiro-de-surf-feminino.html

Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário