Primeira moeda do Brasil é encontrada em São Sebastião

Unidade monetária é da época da colonização brasileira e tem quase 200 anos

Moeda de 40 Réis é de 1823 (Foto: Jean Costa)

Por Alexander Cesar

Um pedreiro que realizava manutenção na casa do relações públicas Jean Costa, no bairro Portal do Olaria, em São Sebastião, encontrou uma moeda de 1823. O artefato tem quase 200 anos. Segundo Costa, na última quarta-feira (15) o trabalhador fazia um canteiro de plantas quando achou a moeda enterrada. 

“Cheguei em casa e meu pai disse que o pedreiro havia encontrado algo debaixo da terra”, conta o relações públicas.

Procurada pela equipe de reportagem do Nova Imprensa, a Casa da Moeda do Brasil informou que a unidade monetária encontrada em São Sebastião é de 40 Réis e foi fabricada na Casa da Moeda do Rio de Janeiro.

Esse dinheiro já circulava no país na época da colonização. Quando veio a independência, em 1822, o réis foi mantido como unidade monetária  e foi o primeiro a circular como moeda oficial do Brasil, sendo substituída pelo Cruzeiro, em 1942. Ainda segundo a Casa da Moeda, foram fabricadas 920 mil moedas de 40 Réis, feitas de cobre e pesando aproximadamente 15 gramas. 

Segundo o especialista em cédulas, moedas e medalhas, Fagner Vieira, a conservação da peça influencia bastante no valor de revenda: "Por ter passado muito tempo enterrada, esta moeda ficou bastante gasta. Hoje deve valer em torno de R$30 para colecionadores", diz Vieira.

Apesar do pouco valor da moeda, Jean Costa já sabe o que vai fazer com o achado: “eu quero guardar, vou guardar. Vi num filme uma vez que o cara passava uma moeda de geração para geração na sua família. Quero fazer isso também”, brincou Costa. 

A curiosidade da moeda de 1823 fez sucesso nas redes sociais. No perfil de Jean Costa a publicação já teve mais de 200 curtidas e dezenas de comentários. "Eu cavava mais. Deve ter um baú aí", dizia um dos comentários.

Moedas de Real e Réis, 200 anos de diferença (Foto: Jean Costa)
História

Antes da chegada dos portugueses no Brasil, os índios usavam o Pau-Brasil como mercadoria de troca com os europeus. Posteriormente, o pano de algodão, o açúcar, o fumo e o zimbo (tipo de concha utilizada nas trocas entre os escravos) foram utilizados como moeda-mercadoria.
Primeiras moedas estrangeiras foram trazidas por europeus e piratas
(Imagem: Banco Central do Brasil)

Com a intensificação das viagens à terra recém-descoberta e a implantação de núcleos de colonização, começaram a circular as primeiras moedas estrangeiras no Brasil, trazidas pelos portugueses, invasores e piratas. A partir de 1580, com a união das coroas de Portugal e Espanha, moedas de prata espanholas passaram a circular no Brasil em grande quantidade.

Em 1642, Dom João IV, rei de Portugal, mandou aplicar carimbos sobre moedas portuguesas e espanholas que estavam em circulação. Esses carimbos aumentavam o valor das moedas.

Durante o domínio holandês no nordeste brasileiro (1630- 1654), surgiram as primeiras moedas cunhadas no Brasil, os florins e os soldos. Essas moedas foram cunhadas pelos holandeses para pagar aos seus fornecedores e às suas tropas cercadas pelos portugueses. Os florins e os soldos traziam a marca da Companhia de Comércio da Índias Ocidentais. A palavra BRASIL aparecia no reverso dos florins.



Após a criação da Casa da Moeda no Brasil foram
criadas as primeiras moedas oficiais do país.
(Imagem: Banco Central do Brasil)

Dinheiro brasileiro

Em 1694, D. Pedro II, rei de Portugal, criou a primeira Casa da Moeda, na Bahia. Todas as moedas de ouro e de prata em circulação na Colônia deveriam ser enviadas à Casa da Moeda para serem transformadas em moedas provinciais. No entanto, as dificuldades e os riscos do transporte fizeram com que a Casa da Moeda fosse transferida de uma região para outra. Em 1699, mudou-se para o Rio de Janeiro; no ano seguinte, para Pernambuco; e de novo para o Rio, em 1703.

As patacas (nome popular para réis) foram as moedas que circularam por mais tempo no Brasil, de 1695 a 1834. Essa série era composta pelas moedas de prata nos valores de 20, 40, 80, 160, 320 e 640 réis. O valor de 320 réis – pataca – deu nome à série.

A partir daí, diversas moedas de réis foram produzidas no Brasil. O dobrão de 20.000 réis, com 53,78 gramas, foi uma das moedas de maior peso em ouro que circulou no mundo.
Em 1727, foram cunhadas as primeiras moedas no Brasil com a figura do rei numa das faces e com as armas da Coroa Portuguesa na outra. Essas moedas deram origem à expressão popular “cara ou coroa” e ficaram conhecidas como série dos escudos. Elas tinham os valores de 800, 1.600, 3.200, 6.400 e 12.800 réis.


Logo vieram as moedas de réis do reinado de D. Maria I, D. Pedro I e D. Pedro II, só para então, em 1942, havia 56 tipos diferentes de cédulas no Brasil. Para uniformizar o dinheiro em circulação, foi instituída a primeira mudança de padrão monetário no país. O antigo Réis deu lugar ao Cruzeiro. Um cruzeiro correspondia a mil réis.



Atualização: 17/07/2015 às 15h26
Compartilhe no Google+
    Comente com o Blogger
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário